Mundo Operário

SAPATEIROS FRANCA

Sapateiros de Franca recusam proposta da patronal e entram em estado de greve

sábado 2 de abril de 2016| Edição do dia

Após alguns anos de sindicato pró-patronal, dirigido pela Força Sindical, os trabalhadores sapateiros de Franca-SP conseguiram retomar o antigo sindicato em fevereiro desse ano, agora dirigido pela "Intersindical/ASS", a partir de um difícil cenário com a campanha salarial desse mesmo ano.

O sindicato busca recuperar todas as perdas que a categoria sofreu durante os anos de ataques da patronal por via da antiga direção como banco de horas, arrocho salarial e calotes nas rescisões de contrato.

Depois de várias rodadas de negociação entre o sindicato e a patronal, que continua irredutível em manter seus lucros às custas do sapateiros, a empresa ofereceu um aumento que não repõe nem mesmo a inflação, causando assim uma insatisfação tremenda entre os trabalhadores que, em uma assembleia não aceitaram a proposta patronal forçando, assim, a direção do atual sindicato a entrar em "estado de greve".

Dando início a um processo ainda pequeno de mobilização na categoria para tentar barrar esta medida, os sindicato patronal tenta já propôs pagar os 9,5% para tentar enfraquecer a luta dos trabalhadores e o sindicatos local. Nas empresas pequenas, onde os trabalhadores buscam se organizar a partir de reuniões semanais, a patronal faz ameaças de demissões a quem aderir a greve, ou até mesmo a quem optar por se filiar ao sindicato.

Para podermos enfrentar todos esses ataques, devemos regatar todos os métodos de luta clássicos da classe trabalhadora, nos organizar em cada local de trabalho, e exigir da direção do sindicato que obrigue os patrões a abrirem seu livros caixas pra ver se há mesmo uma impossibilidade de um aumento real e que garanta uma vida digna aos sapateiros de Franca, não aceitando que sejamos nós a pagar os custos de uma crise gerada pelos próprios patrões.




Tópicos relacionados

Indústria   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar