Sociedade

CAOS EM SANTO ANDRE

Santo André: Um desastre natural ou chamado Paulo Serra?

Jenifer Tristan

ABC Paulista

sexta-feira 7 de abril de 2017| Edição do dia

Com as chuvas de quinta a noite a cidade ficou completamente alagada, bairros inteiros com água nos joelhos, árvores e casas destruídas, além disso os passageiros do último trem que liga o Brás (São Paulo) com Rio Grande da Serra (Grande ABC) não conseguiu chegar ao seu destino deixando as pessoas dentro do trem até às 4:30 da manhã de sexta feira.

Desde janeiro a ponte que liga o centro de santo André ao segundo subdistrito da cidade está comprometida e com sua queda declarada. O prefeito Paulo Serra (PSDB) não só não garantiu a manutenção antes da ponte rachar como foi o responsável por terminar de destruir a ponte na manhã de sexta feira. A ponte que estava rachada contou com a ideia brilhante do prefeito de mandar uma retroescavadeira para a manutenção da mesma, o que garantiu o desmoronamento completo da ponte.

E os morados do subdistrito de santo André passaram o dia ilhadas do outro lado da ponte pois não havia como atravessar.
Do PT ao PSDB quem sofre são os trabalhadores

As chuvas são declaradas nesse período do ano, mas os governos não estão nenhum pouco preocupados com a população, os desastres já anunciados só pioram a vida dos trabalhadores.

Sempre que chove a desculpa dos governos é a mesma “um desastre natural” quando de natural não tem nada, tanto o prefeito anterior Carlos Grana (PT), quanto o atual prefeito nunca fizeram um plano ou um debate sério para evitar o caótico cenário da cidade.

Nesta noite de quinta feira choveu muito em Santo André​ deixando a população ilhada, casas destruídas e uma ponta na avenida dos estados totalmente comprometida. O capitalismo ganancioso constrói estruturas próximas ao rio, no caso de Santo André, o Rio Tamanduateí alaga completamente que sem bolsões ou infra estrutura quem paga é a população.

Atualmente vivemos um cenário de retirada de direitos, ataque aos trabalhadores e um alto nível de desemprego, Santo André tem a terceira maior dívida interna do país. Os capitalistas e os golpistas estão fazendo uma série de ajustes para garantir que não sejam os empresários que paguem pela crise, precisamos de um verdadeiro plano de lutas para barrar os ataques e garantir que o dinheiro da cidade seja investido nas necessidades da população.

É necessário parar de pagar a dívida para investir em um verdadeiro plano de obras para cidade para impedir que a população sofra com as chuvas e tenham suas vidas desorganizadas e casas destruídas.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    ABC paulista

Comentários

Comentar