Economia

INFLAÇÃO

Salário mínimo de R$ 1.039 fixado por Bolsonaro não repõe inflação de 2019

O choque de preços das carnes impulsionou a inflação oficial no País tanto em dezembro quanto no fechamento do ano, deixando o aumento do salário mínimo estipulado pelo governo Bolsonaro abaixo da inflação do ano.

sexta-feira 10 de janeiro| Edição do dia

O salário mínimo de R$ 1.039, fixado pelo governo Jair Bolsonaro, ficou abaixo da inflação do ano passado. Como o mínimo estava estabelecido em R$ 998 em 2019 e aumentou em 4,1%, o ajuste ficou abaixo do Índice Nacional de Preços ao Mercado (INPC) de 2019, de 4,48%, divulgado nesta sexta-feira, 10.

O choque de preços das carnes impulsionou a inflação oficial no País tanto em dezembro quanto no fechamento do ano. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA encerrou dezembro com taxa de 1,15%, mas essa variação teria sido de 0,64% se não tivesse ocorrido a pressão das carnes.

O INPC serve como base para correção do salário mínimo e é diferente do IPCA, que mede a inflação oficial. Com isso, se levada em conta a variação do INPC, o salário mínimo deveria ter chegado a R$ 1.042,71 em 2020.

De acordo com cálculos do governo, o aumento de cada R$ 1 para o salário mínimo implica despesa extra em 2020 de aproximadamente R$ 355,5 milhões.

Esse aumento da inflação atinge principalmente as camadas mais pobres que possuem menor margem de manobra do que rendas superiores. Frente a explosão dos preços da carne, por exemplo, muitas pessoas tiveram que deixar de comprar o produto para buscar alternativas, o que impactou nos preços do frango (5,08%) e dos pescados (2,37%).

Com informações da Agência Estado




Tópicos relacionados

Inflação   /    Economia

Comentários

Comentar