PRIVATIZAÇÃO PETROBRÁS

Saiba todos recursos da Petrobras que Temer e Pedro Parente venderam aos imperialistas

Após Pedro Parente anunciar o maior plano de privatização da Petrobrás desde a fundação da Nova República, alvejando 4 refinarias e uma dezena de terminais, parte dos recursos naturais e estratégico do país, listamos tudo o que ele junto a Temer entregaram ou tentaram privatizar da empresa.

Ítalo Gimenes

Campinas

sábado 21 de abril| Edição do dia

O presidente da Petrobrás Pedro Parente anunciou nesta quinta-feira, 19, que até o final do ano pretende vender o controle das refinarias Abreu e Lima, Landulpho Alves, Alberto Pasqualini e Presidente Getúlio Vargas, sendo as duas primeiras do nordeste e as duas últimas do sul, além de outros 12 terminais associados. Isso corresponde a privatização dos blocos regionais inteiros das regiões nordeste e sul do país. O maior ataque à empresa em décadas.

Esse enorme ataque é mais um numa grande lista de ataques que foram passando nos últimos anos, com o fechamento das fábricas de fertilizantes, a venda das plataformas do pré e pós-sal, a constante ameaça de privatização, que vai se concretizando ainda mais agora com a venda das 4 refinarias.

ENTENDA: Temer quer privatizar 4 refinarias e vários terminais, ataque histórico à Petrobrás

Desde o golpe institucional de 2016 esteve evidente que ele viria para dar novo ritmo às reformas, ajustes e privatizações iniciadas nos governos do PT, em especial no mandato de Dilma. Desde que a agenda “Ponte para o Futuro” foi apresentada era possível antever não só os ataques diretos à classe trabalhadora, consolidado nas contrarreformas como a PEC do teto dos gastos com saúde e educação, a Reforma Trabalhista e da Previdência, mas também o aprofundamento de privatizações, passando pelas principais empresas públicas: Eletrobrás, Petrobrás, bancos públicos.

Documentos internos do governo americano vazado pelo Wikileaks, mostrando o treinamento de Sergio Moro e outros juízes da Lava-Jato no EUA, o fornecimento de dados sigilosos brasileiros aos EUA, o papel de José Serra (PSDB) nas negociações com as grandes corporações de petróleo norte-americano, foram algumas confirmações dos obscuros interesses imperialistas por de trás dessa operação e de todo o golpismo.

Com a operação Lava-Jato impondo multas à Petrobrás para facilitar a aquisição por suas “sócias” internacionais e outros mecanismos de desmonte de setores estratégicos da empresa, fez da estatal “terra arrasada” para facilitar a entrega de recursos naturais e zerar bilhões de investimento público. A venda do pré-sal mostra como um processo entreguista iniciado pela gestão de Graça Foster, no governo Dilma, e seus projetos de “desinvestimento” eram poucos para a ganância dos capital imperialista que patrocinou o golpe.

Assim como os petroleiros responderam a “privataria” dos anos de FHC, ou mesmo a entrega do pré-sal por parte do governo Dilma em 2013, não há outra forma senão com a preparação da luta em cada refinaria, terminal, plataforma, mesmo as que ainda não estão sendo entregues. A FUP tem responsabilidade de organizar assembleias de petroleiros nesses locais para os trabalhadores consigam barrar o avanço do golpe contra recursos naturais e estratégicos do país, mas também contra a prisão de Lula e o ataque ao direito do povo decidir em quem votar. Não é possível aguardar até maio para que esse chamado seja feito, como pretendem, enquanto a venda se consolida.

Pois uma luta capaz de derrotar de fato esses planos necessitará avançar em um plano de estatização de todos recursos do petróleo que foram privatizados. A forma dessa estatização deve resultar no controle democrático dos recursos do petróleo, chutando a casta burocrática do seu comando, pois ela desenvolve métodos corruptos tanto para entregar a empresa ao imperialismo quanto para seus próprios negócios. É lutando para colocar todos recursos do petróleo e da Petrobras sob a administração democrática dos próprios trabalhadores que os petroleiros darão um golpe de morte aos planos privatistas na Petrobrás.

Veja a lista elaborada pelo Esquerda Diário de tudo que foi privatizado na Petrobras desde o golpe

Privatização em Águas Rasas

06.Abr.2018: Os três conjuntos de campos em águas rasas postos a venda são: Polos Pargo, Sergipe e Merluza, localizados nos estados do Rio de Janeiro, Sergipe e São Paulo, respectivamente. Fonte.

Fechamento das fábricas de fertilizantes no Sergipe e na Bahia
20.Mar.2018. As fábricas de fertilizantes nitrogenados da Bahia (Fafen-BA), localizada no polo petroquímico de Camaçari, e de Sergipe (Fafen-SE), na cidade de Laranjeiras serão "hibernadas". Fechadas até encontrarem comprador. Sem elas o país passa a ser 100% dependente de fertilizantes importados. Fonte.

Privatização refinaria Pasadena, nos EUA.

07.Fev.2018: Anúncio de venda da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Com capacidade de processamento de petróleo de 110 mil barris por dia e capacidade de armazenamento de 5,1 milhões de barris de petróleo e derivados, o terminal marítimo, a logística e os estoques associados, além de um terreno estrategicamente localizado no canal marítimo de acesso a Houston (Houston Ship Channel), para oportunidades de expansão futura. Fonte.

Venda de direitos de operação do Campo de Lapa

15.Jan.2018: Concessões de direitos de 35% da Petrobras à Total, operação do Campo de Lapa da Bacia de Santos. Concessão de direitos de 22,5% da Petrobras para a Total da área de Iara, que contém os campos de Sururu, Berbigão e Oeste de Atapu, também na Bacia de Santos. Fonte.

Oferta de privatização da Petrobras Distribuidora BR

22.nov.2017: Ainda em fase de oferta, a distribuidora já está aberta ao mercado. Fonte.

Venda de ativos e da participação da Petrobrás na Nigéria

07.Nov.2017: Início da venda total de ativos e da participação da Petrobras na Nigeria. A apropriação de reservas líquidas da POGBV totaliza aproximadamente 204 milhões de barris e a produção atual é de 48 mil barris por dia, com expectativa de atingir cerca de 75 mil barris dia até 2019. Fonte.

Alianças com a multinacional BP

31.Out.2017: "Cooperação" nas áreas de exploração & produção, refino, transporte e comercialização de gás, GNL, trading de petróleo, lubrificantes, combustível de aviação, geração e distribuição de energia, renováveis, tecnologia e iniciativas de baixa emissão de carbono, com a americana BP. Fonte

Privatização total no setor de fertilizantes

27.Out.2017: Venda total da participação acionária na Araucária Nitrogenados S.A. (Ansa) e de sua Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III). Fonte

Venda de todos os ativos da Petrobras no Paraguai

26.Out.2017: Privatizar integralmente a participação acionária da Petrobras nas empresas Petrobras Paraguay Distribución Limited (PPDL UK), Petrobras Paraguay Operaciones y Logística SRL (PPOL) e Petrobras Paraguay Gas SRL (PPG). Corresponde a 197 estações de serviços e 113 lojas de conveniência. Fonte.

Concessão de direitos de exploração privada sobre o Campo de Maromba, na Bacia Campos

03.Out.2017: A Petrobras, operadora com 70% de participação, e Chevron Brasil Petróleo Ltda., detentora de 30% de participação, oferecem conjuntamente 100% dos direitos do Campo de Maromba (Concessão de BC-20A), localizado no sudeste da Bacia de Campos, abrindo mão da descoberta de óleo pesado em águas rasas, próxima aos campos em produção de Peregrino e Papa-Terra. Fonte.

Privatização de 19 ativos no Ceará, Rio Grande do Norte e Sergipe

22.set.2017: Venda da totalidade dos direitos de exploração, desenvolvimento e produção em cinco conjuntos de campos terrestres (totalizando 19 concessões), localizados nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Sergipe. A parcela da Petrobras na produção média de petróleo e gás natural desses campos, no ano de 2016, foi de 17,4 mil barris de óleo equivalente por dia. Fonte.

Privatização de toda distribuidora Liquigás e seus ativos

30.mai.2017: A alienação de 100% das ações detidas por nós na Liquigás para a Companhia Ultragaz S.A., subsidiária da Ultrapar Participações S.A., foi aprovada na AGE pelo valor de R$ 2,67 bilhões. 23 centros operativos, 19 depósitos, uma base de armazenagem e carregamento rodoferroviário e uma rede de aproximadamente 4.800 revendedores autorizados. Fonte.

Privatização de 100% da participação no Campo de Juruá

22.Mai.2017: Concessão de Juruá, localizado no estado do Amazonas, para descoberta de gás natural, perto de campos operados pela Petrobrás e de infraestrutura para processamento e escoamento de gás. Fonte.

Oferta de privatização de 100% do Campo de Azulão na Bacia do Amazonas

16.Mai.2017: Oportunidade para desenvolver uma descoberta de gás natural, perto de infraestrutura já existente, bem como de linha de transmissão de energia. Fonte.

Venda da participação da Petrobrás Biocombustível na Guarani

03.Fev.2017: Venda da totalidade da participação da Petrobrás na subsidiária integral Petrobras Biocombustível S.A. (PBIO) na Guarani S.A. (Guarani), no valor de US$ 202,75 milhões pela Tereos Participations SAS.Fonte.

Entrega de títulos no exterior

17.Jan.2017: Oferta de títulos no mercado de capitais internacional (denominados global notes), no valor de US$ 4 bilhões. Do total, US$ 2 bilhões terão vencimento em cinco anos e US$ 2 bilhões em dez anos. Fonte.

Venda de 100% da Petrobras Chile para a Southern Cross Group

04.Jan.2017: Privatização de 100% da Petrobras Chile Distribuición Ltda (PCD) para a Southern Cross Group. O valor da entrada de caixa resultante da operação foi de US$ 470 milhões, dos quais US$ 90 milhões foram oriundos da distribuição de dividendos líquidos de impostos da PCD, ocorrida em 9 de dezembro de 2016, e os demais US$ 380 milhões foram pagos, na data de hoje, pela Southern Cross Group. 279 postos de serviços, uma planta de lubrificantes, oito terminais de distribuição, operações em 11 aeroportos e participação em duas empresas de logísticaFonte.

Venda de 100% das ações da Nansei Sekiyu (“NSS”) para a Taiyo Oil Company (“Taiyo”).

29.Dez.2016: A NSS é uma empresa localizada na ilha de Okinawa, no Japão, e detida integralmente pela Petrobras International Braspetro – PIB BV. Compreende uma refinaria com capacidade de processamento de 100 mil barris por dia de petróleo, 36 tanques que armazenam 9,5 milhões de barris de petróleo e derivados, além de três píeres para carga e descarga de navios e uma monoboia. A operação foi concluída com o pagamento de US$ 165 milhões pela Taiyo. Fonte.

Venda de ativos em biocombustível e petroquímica

28.Dez.2016: Petrobras Biocombustível (PBIO) vendeu para a Tereos Participations - empresa do grupo francês Tereos - a totalidade da sua participação na Guarani, correspondente a 45,97% do capital da companhia. E venda da Companhia Petroquímica de Pernambuco (PetroquímicaSuape) e da Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe) para duas subsidiárias da empresa mexicana Alpek. Fonte.

Aliança privatista com a Total

21.Dez.2016: A transação tem o valor global estimado de US$ 2,2 bilhões, incluindo entrada de caixa à vista, pagamentos contingentes e um carrego de investimentos no desenvolvimento da produção de ativos comuns às duas empresas.Fonte

Encerramento das atividades da Usina de Biodiesel no Ceará

07.Out.2016: A Petrobras Biocombustível encerrou as atividades produtivas da Usina de Biodiesel de Quixadá, no Ceará. Fonte.

Venda Petroquímica Suape e da Citepe

28.Set.2016: Venda da participação da Petrobrás na Companhia Petroquímica de Pernambuco (Petroquímica Suape) e na Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe), para a Alpek. Fonte.

Venda da maior parte dos gasodutos do Sudeste para a canadense Brookfield

23.Set.2016: Venda de 90% das ações da Nova Transportadora do Sudeste (NTS) para a Brookfield Infrastructure Partners (BIP) e suas afiliadas, através de um Fundo de Investimento em Participações (FIP), por US$ 5,19 bilhões. Fonte.

Venda do megacampo de pré-sal de Carcará

29.Jul.2016: A Petrobras se desfez de sua participação de 65% do campo de Carcará no Pré-Sal à norueguesa Statoil pelo irrisório valor de US$ 2,5 bilhões. Este megacampo, com reservas estimadas entre 700 milhões a 1,2 bihão de barris tem um valor, no mínimo de 28,6 bilhões de dólares se considerarmos a menor estimativa de reserva e os deprimidos preços de hoje (US$ 41,24 o barril de Brent em Nova Iorque). Fonte.

Venda participação da Petrobrás Argentina

27.Jul.2016: Venda da totalidade da participação de 67,19% na Petrobras Argentina (PESA), detida por meio da Petrobras Participaciones S.L. (PPSL), para a Pampa Energía. Fonte.

Venda de unidades no Rio de Janeiro e Ceará

07.Jun.2016: Início das privatizações da Petrobrás do governo Temer, com a venda dos terminais de Gás Natural Liquefeito (GNL) no Rio de Janeiro e no Ceará, bem como das usinas termelétricas associadas aos terminais. Fonte.




Tópicos relacionados

Imperialismo   /    Golpe institucional   /    Privatização da Petrobras   /    Governo Temer   /    Privatização

Comentários

Comentar