Política

STJ extingue denúncia de cartel entre empresas imperialistas que fazem obras no Metrô de SP

sexta-feira 15 de junho| Edição do dia

O Supremo Tribunal de Justiça extingue denuncia criminal contra executivos de empresas acusadas de formar cartel para licitação de obras no Metrô de São Paulo. Entre 2000 e 2007, nos governos de Mário Covas, Geraldo Alckmin e José Serra, as empresas envolvidas teriam feito um acordo entre elas para dividir entre elas os contratos de reforma do metrô e trens da CPTM.

As empresas envolvidas seriam Alstom, Bombardier, Balfour Beatty, Siemes e T’Trans. As licitações seriam para obras o trecho Ana Rosa-Ipiranga e sistemas complementares para o trecho Ana Rosa-Vila Madalena da Linha 2-Verde.

O Ministério Público de São Paulo já fez 14 denuncias sobre o caso, esse é o segundo caso que o STJ interrompe em Brasilia, ainda na fase processual que acontecia em São Paulo. escancarando mais uma vez a imparcialidade do judiciário brasileiro.

O argumento do STJ usa para extinguir a denúncia é de que já passou o prazo estabelecido por lei de oito anos. Porém, o contrato contínua em funcionamento, as empresas continuam lucrando bilhões em dinheiro público de maneira fraudulenta.

Os desdobramentos da investigações revelaram, inclusive, que, além do cartel, a empresa Alston também pagavam propinas para o governo do PSDB em São Paulo desde 1997. No decorrer da investigação, foi se mostrando que o esquema entre as empresas e o governo era bem mais amplo. Distrito Federam, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul também estariam envolvidos no caso.

As empresas super faturavam as obras e trens em até 30% do seu valor, além de combinar qual delas seriam as vencedoras da licitação. As empresas que perdiam eram subcontratadas pelas que venciam. Para manter o esquemas, as empresas pagavam propinas ao governo e a funcionários públicos de alto escalão.

O STJ ter extinguido só reforça como um judiciário, que não foi votado por ninguém, defende apenas os interesses dos de cima. Enquanto 40% da população carcerária passa anos e anos sem sequer serem julgados, empresas imperialistas, que roubam descaradamente o dinheiro público, se mantêm ilesas para continuar cometendo crimes de corrupção aliado aos governos. Principalmente, mas não só, os governos do PSDB, que carregam uma série de acusações de corrupção e nuca são levadas a frente.




Tópicos relacionados

Poder Judiciário   /    Metrô   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar