ARBITRATIEDADE

STJ solta e permite candidatura de deputado preso e escancara arbitrariedade

O STJ, o mesmo que vota arbitrariamente pela prisão de Lula e nega seus pedidos de habeas corpus para seguir impedindo sua candidatura, solta o deputado João Rodrigues do PSD, de Santa Catarina, que foi condenado por crimes contra a Lei de Licitações na época em que era prefeito de Pinhalzinho, e o permite participar das eleições.

quarta-feira 15 de agosto| Edição do dia

Mesmo tendo sido condenado, o deputado foi autorizado pelo STF a comparecer ao trabalho na Câmara. O ministro Rogério Schietti Cruz, do STJ, suspendeu os efeitos da condenação de Rodrigues, permitindo assim que ele se candidate à reeleição e participe tranquilamente de debates e entrevistas, escancarando dessa forma os dois pesos e duas medidas.

Rodrigues, mesmo condenado, seguiu exercendo seu mandato na Câmara, comparecendo às sessões e às noites voltando para dormir na prisão, e todos os dias desfrutava de privilégios de seu mandato. Ainda em janeiro deste ano, aguardando a decisão do STF sobre seu recurso e prevendo sua condenação, o deputado investiu R$ 5 mil reais em propagandas para promoção de suas atividades parlamentares.

Enquanto toma esta medida, o mesmo STJ atua para impedir o direito democrático da população de votar em quem quiser e fazer com que essas eleições presidenciais estejam em grande medidas comprometidas pela sua legitimidade. O Judiciário e todas as "alas Lava Jato" do regime com o apoio da mídia atuam para dar continuidade ao golpe e assim garantir as melhores condições para a implementação de reformas e ajustes contra os trabalhadores e a população pobre.




Tópicos relacionados

PSD   /    Eleições 2018   /    Poder Judiciário

Comentários

Comentar