Política

AUTORITARISMO JUDICIÁRIO

STF censura redes sociais bolsonaristas, precedente autoritário para golpismo atacar a esquerda

Por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do STF, o Twitter retirou do ar contas de personalidades bolsonaristas investigadas no inquérito das fake news, abrindo um precedente para perseguições posteriores contra a esquerda e os trabalhadores.

sábado 25 de julho| Edição do dia

Foto: STF

Não há dúvida de que as pessoas que foram atingidas pelas medidas de ontem (24/07), como Luciano Hang, o Veio da Havan, e Sara Winter, são reacionários asquerosos e inimigos dos trabalhadores e nem de que eles estavam de fato envolvidos com os esquemas de fake news de Bolsonaro.

No entanto, longe de algo à ser comemorado pela esquerda, a medida do STF é um avanço autoritário dentro do atual regime político brasileiro marcado pelo golpismo e sua continuidade. Hoje, este tipo de expediente vem sendo utilizado na disputa entre o poder judiciário, que tenta posar de democrático, e Bolsonaro, que fazia ameaças golpistas até poucas semanas atrás.

Porém, estes dois lados servem a burguesia, e esta, bem como seus servos, teme, mais que tudo, os trabalhadores e suas organizações. Quando for necessário, se utilizarão destas mesmas medidas para reprimir partidos de esquerda e sindicatos, enquanto protegerão os mesmos protofascistas que hoje atacam.

O STF e o poder judiciário são pilares da exploração da burguesia contra os trabalhadores e da repressão contra o povo pobre e negro. Basta ver que Alexandre de Moraes, antes de ser indicado ao STF pelo golpista Michel Temer, foi Secretário de Segurança Pública no governo de Geraldo Alckmin, em São Paulo, comandando diretamente a PM paulista, a que mais mata no país. Também não faltam provas do papel do golpismo judiciário no impeachment em 2016, na aprovação de ataques aos trabalhadores como a reforma da previdência e da amplicação da terceirização e mesmo nas eleições manipuladas de 2018 quando retiraram o direito da população votar em quem ela quisesse.

Além disso, o judiciário é um poder composto por pessoas que não foram jamais eleitas por ninguém, mas que possuem mandatos praticamente vitalícios e que concentram um enorme poder em suas mãos. São sempre eficientes em referendar os ataques aos direitos trabalhistas, mas permitem o absurdo enorme que é o fato de que mais de 30% dos presos no Brasil não terem sido sequer julgados, e que grande parte destes, depois de ficar meses ou anos na cadeia, ainda irá ser absolvido.

Perante tudo isto, comemorar a decisão de Moraes é comemorar que um potencial carrasco tenha novos precedentes para perseguir a esquerda e os trabalhadores. Um poder reacionário e anti-democrático como STF não irá jamais conter os cães raivosos da burguesia, mas apenas controlá-los e adestrá-los para que possam ser usados no momento apropriado contra a esquerda e os trabalhadores.

Nós só podemos confiar em nossas próprias forças, nas organizações dos trabalhadores como sindicatos, movimentos sociais, organizações estudantis etc. para enfrentar o governo de Bolsonaro e Mourão, mas também o STF e o judiciário, que representam igualmente a precarização do trabalho, o assassinato de jovens negros e os diversos ataques que estão acontecendo nesse momento.




Tópicos relacionados

bolsonarismo   /    Fake News   /    Alexandre de Moraes   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar