Política

JUDICIÁRIO

STF ajuda Maia a blindar Temer e passar mais ataque contra os trabalhadores

Alexandre de Moraes, ministro do STF, negou pedido da OAB que obrigaria Rodrigo Maia a analisar o pedido de impeachment de Temer.

quinta-feira 24 de agosto| Edição do dia

Nesta quarta feira, 23, o ministro do STF, Alexandre de Morares negou o pedido feito pela OAB para obrigar Rodrigo Maia (DEM-RJ) a analisar o pedido de impeachment de Temer.

Em junho deste ano Mores já havia negado outro pedido como esse, apresentado por deputados da oposição, o qual apontava também omissão de Maia sobre o prosseguimento ou rejeição dos processos de impeachment contra Temer, já são mais de 20 processos acumulados, esperando um parecer. É responsabilidade do presidente da Câmara, Rodrigo Maia o exame inicial dos pedidos. Alexandre de Moraes ao negar os pedidos afirmou que, como ministro do Supremo Tribunal Federal não pode intervir nos assuntos da Câmara dos deputados.

O presidente da OAB, Cláudio Lamachia, assegurou que irá recorrer da decisão do STF, afirmando que Rodrigo Maia usa o cargo que ocupa pra blindar Michel Temer.
O pedido de impeachment apresentado pela OAB decorreu após as delações da JBS, em maio desse ano, as quais citam Temer e Aécio Neves. A justificava da OAB para o pedido é Temer agiu de forma incompatível com o cargo a partir das ações realizadas com Joesley Batista (um dos donos da JBS). Em suas delações o empresário afirmou o pagamento de propina à Temer. A Ordem dos Advogados aponta ainda que Maia falha ao, após 80 dias que o pedido foi apresentado à Câmara dos Deputados, o mesmo segue ignorando-o.

Rodrigo Maia segue blindando Temer. Isso para que o presidente golpista possa, mesmo após ser denunciado por Rodrigo Janot, procurador-geral da República, por crime de corrupção passiva, sendo absolvido pela Câmara no último dia 2, envolvido em grandes esquemas de corrupção junto a grandes empresários e uma casta de corruptos, seguir atacando ao trabalhador com um pacote de ataques que irá precarizar ainda mais as relações e condições de trabalho no Brasil.




Tópicos relacionados

STF   /    "Partido Judiciário"   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar