Sociedade

ESPORTE

STF aceita habeus corpus de Nuzman, ex-presidente do COB, após 15 dias preso.

Carlos Arthur Nuzman é um advogado, atleta e político brasileiro. Ex-jogador de vôlei, Nuzman presidiu a Confederação Brasileira de Voleibol e o Comitê Olímpico Brasileiro. Vamos conhecer um pouco dele? E como mantém seu padrão de vida alto?

sábado 21 de outubro| Edição do dia

Morador de uma mansão de três andares, com escandalosos gastos, pagos todos em dinheiro vivo. Em sua casa havia cozinheiro, que também limpava o 1º e 3º andar da mansão, a secretária, o motorista, que também lavava a piscina, uma senhora, que lavava roupa e o 2º anda, a passadeira quinzenal. Além disso, havia outros gastos enormes, assim como os saques na boca da caixa bancária, sacava em dinheiro vivo do COB no valor de R$ 1.421.903,00 entre janeiro de 2014 e 2015. Será que esse dinheiro todo foi investimento em esportes? Não há empresas ou CPFs que deem legitimidade.

Com todas essas perguntas sem respostas como parte da investigação do seu alto padrão de vida, surge uma denúncia que leva a prisão do ex-presidente do COB, Nuzman, decretada pelo Juiz Marcelo Bretas por supostamente intermediar o pagamento de propinas para que o Rio fosse escolhido sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Nuzman, acusado por organização criminosa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, ficou preso durante 15 dias no presídio de Benfica, na Zona norte do Rio, na quinta-feira (19) o STF aceitou o pedido de habeas corpus, mostrando a função do judiciário para livrar a cara dos corruptos. Foram quatro votos a favor da soltura, enquanto o ministro Antônio Saldanha Palheiro não votou por impedimento.

As empresas e os interesses imperialistas ligados ao esporte se utilizam para atender aos seus próprios lucros favorecendo os patrões, e aumentando a corrupção.




Tópicos relacionados

Esporte   /    Sociedade   /    Corrupção

Comentários

Comentar