Educação

ESQUERDA DIÁRIO IMPRESSO

SP: Governo tenta disciplinar com repressão. Secundas resistem!

Odete Cristina

estudante de ciências sociais na USP

sexta-feira 20 de maio de 2016| Edição do dia

Na dianteira das lutas de juventude que vem explodindo país afora, os secundaristas de São Paulo exigem merenda nas escolas e o fim dos cortes na educação. Esses jovens foram os poucos que conseguiram imprimir uma derrota ao intransigente governo Alckmin em 2015. Por isso, disciplinar por meio da repressão e derrotar essa juventude, que não tem medo de luta, evitando que ela contagie a classe trabalhadora, é estratégico tanto para Alckmin quanto para o governo golpista Temer.

Não foi um mero acaso o governo de São Paulo ter liberado, sem mandato, que a PM mais assassina do mundo reintegrasse a posse das ocupações um dia após a nomeação de Alexandre de Moraes, ex-Secretário de Segurança do Estado, como Ministro da Justiça.

Apesar de terem votado em assembléia a desocupação das escolas como medida de proteção em relação à truculência e à violência policial de Alckmin, os secundaristas não desistiram da sua luta e estão organizando atos de ruas e paralisando suas escolas como próximos passos da mobilização. Agora a juventude secundarista também tem ao seu lado os estudantes e trabalhadores das três universidades estaduais paulistas em greve contra os ataques dos Reitores e do governador, em defesa da educação.

E se a luta da juventude hoje é tão fortemente reprimida pelos governos é porque eles possuem a clareza de como nossa aliança com os trabalhadores será um empecilho enorme para passar todas as medidas de ataques que eles querem. Mas se os governos “tão vindo quente” – com bombas, gás lacrimogêneo, polícia e muita repressão – mostraremos que “nóis já tá fervendo”. E vamos incendiar esse país numa luta unificada por nossos direitos!




Tópicos relacionados

Secundaristas   /    #OCUPATUDO   /    Educação   /    Juventude

Comentários

Comentar