Cultura

MÚSICA | OPINIÃO

SOLTASBRUXA e vem sentir o calor de francisco, el hombre!

A banda passou por Minas Gerais no último final de semana e tocou no festival Transborda, embaixo do Viaduto Santa Tereza em Belo Horizonte. O festival Transborda foi também palco de diversos outros incríveis shows, mas aqui e agora, precisamos falar sobre francisco, el hombre.

Iaci Maria

Belo Horizonte

segunda-feira 19 de setembro| Edição do dia

Há tempos ansiava por esse show. Vi a banda nascer, acompanhei de longe, espectadora, as conquistas e muitas dificuldades de quem abraçou um sonho e meteu o pé na estrada, assisti a vídeos e mais vídeos, comemorei comigo mesma o lançamento do cd e no último fim de semana pude, enfim, saber pra onde ir: sentir o calor de francisco, el hombre na rua!

O show é novo, do cd SOLTASBRUXA que acabou de sair, e é um projeto incrível. Embora ainda não tivesse tido a chance de vê-los ao vivo, tinha certeza que o show era incrível, mas fui realmente surpreendida. Me lembrei da primeira vez que vi Móveis Coloniais de Acajú ao vivo, banda que eu ainda não conhecia e apenas um show foi o suficiente para conhecer e me apaixonar. A quantidade de vida que o show de francisco, el hombre tem faz ser impossível qualquer pessoa presente ou mesmo de passagem ficar parada. É daqueles shows que quando começa, desafia a lei da inércia e faz parecer impossível qualquer corpo em repouso continuar em repouso. Não há corpo que obedeça a um comando de manter-se parado enquanto eles tocam.

francisco, el hombre canta a juventude, o que ela é, o que ela sente, o que ela quer. A juventude indignada, a juventude que não se cala, que não aceita a miséria imposta pela sociedade e grita. E começa o show já assim, decisivos: já sei pra onde vou, vou sentir o calor da rua! E é com essa pegada, aquela politização ácida e irônica, que cutuca e provoca, que eles cantam a vida e aquilo que nós queremos gritar. E quem nunca quis gritar à certo político fascista de cargo alto e voz viril, exaltador de torturador, que ele é um cara muito escroto? francisco, el hombre grita, e a carapuça serve muito bem.

E tem mais. Além de letras que tocam as polêmicas necessárias, dos músicos sensacionais que fazem seu sangue dançar, a banda tem Juliana Strassacapa, a incrível vocalista que sabe humildemente roubar a atenção. Por várias vezes o show é simplesmente dela, que desatinou e desatou nós, ela, que é em si seu próprio lar. A sociedade nos quer belas, recatadas e do lar e, quando não aceitamos, somos as tristes, loucas ou más. Juliana Strassacapa sobe no palco para dar o recado: são as mulheres quem se definem!

Com a animação de um show que poucas vezes vi em outras bandas, ao estilo dos incríveis shows de Móveis Coloniais de Acajú e até mesmo Manu Chao, francisco, el hombre fez Belo Horizonte balançar no último domingo e do lado de cá, nas terras mineiras, acredito que posso falar por muitos ao dizer que os mineiros aguardamos ansiosamente a volta dessa menina e meninos incríveis. Por favor, francisco, el hombre, voltem sempre!

E pra quem ficou curioso, da uma escutadinha aqui que vale a pena:




Tópicos relacionados

Música   /    Belo Horizonte   /    Cultura

Comentários

Comentar