Mundo Operário

SOLIDARIEDADE DE CLASSE

SINTUSP e ADUSP arrecadam doações para as vítimas do incêndio no Largo do Paissandu

O Sintusp – Sindicato dos trabalhadores da USP e a Adusp – Associação de docentes da USP, organizam arrecadações para as vítimas do incêndio no edifício Wilton Paes de Almeida, no Largo do Paissandu.

quarta-feira 2 de maio| Edição do dia

No dia 1º de maio, dia que marca a luta dos trabalhadores contra a exploração dos patrões, um dos maiores incêndios em edifícios da cidade na história, deixou centenas de famílias desabrigadas. Trabalhadores precários, imigrantes, todos em busca de sobreviver em São Paulo.

Políticos como o golpista Temer (PMDB), o governador Marcio França (PSB), o prefeito Bruno Covas (PSDB) e o pré-candidato João Dória (PSDB) apressaram-se em responsabilizar os movimentos sociais que lutam por moradia ou mesmo os próprios ocupantes por essa tragédia. Abandonam a população à própria sorte, precarizam suas condições de vida e agora ainda tentam responsabiliza-la por um direito que deveria ser garantido pelo estado: o direito à moradia digna.

A especulação imobiliária transformou São Paulo em um dos lugares mais caros do mundo para se viver. Enquanto juízes e políticos ganham mais de 4 mil reais só em auxílio-moradia, além de altíssimos salários que muitas vezes ultrapassam 100 mil reais, e também reitores de universidades públicas, como o ex-reitor da USP, Marco Antônio Zago, que só no ano passado recebeu mais de 60 mil reais em “auxílio-moradia”, milhões vivem em moradias precárias, tendo que sobreviver com um salário mínimo de R$ 954,00. Só na cidade de São Paulo, o déficit de moradias chega a 370 mil. O estado é responsável por essa situação absurda e por essa tragédia sem precedentes.

Enquanto políticos vêm com demagogias, falsas promessas e ameaças de criminalização a movimentos sociais, os trabalhadores mostram mais uma vez solidariedade de classe frente a essa tragédia capitalista. A partir da USP, docentes e funcionários, através de suas entidades de classe, o SINTUSP e a ADUSP, estão organizando arrecadações para levar às famílias desabrigadas que perderam tudo nesse incêndio.

As doações podem ser entregues das 8h até às 18h na sede do SINTUSP (Av. Prof. Almeida Prado, 1362) ou da Adusp (Av. Prof. Almeida Prado, 1366), ambas na Cidade Universitária, no Butantã.

Pede-se preferencialmente os seguintes itens para doações:

  • Alimentos não perecíveis (com validade superior a um mês)
  • Água
  • Itens de higiene pessoal
  • Fraldas
  • Roupas e sapatos - infantil e adulto
  • Colchão/ colchonetes
  • Cobertores

Clique aqui para acessar o link do evento no facebook para doações.

Ações como as dos trabalhadores da USP são a mostra de que a classe trabalhadora é a única capaz de responder a toda miséria e exploração da sociedade capitalista. E a partir desse exemplo de solidariedade de classe, deve-se lutar para que imóveis ociosos sejam expropriados em favor das famílias atingidas e isso combinado com um plano de obras públicas que crie empregos, garanta as condições necessárias de moradia nas ocupações e golpeie o lucro dos capitalistas especuladores. É também necessário que esse plano sirva para a construção de moradias populares para que essas e mais famílias tenham moradia digna e integrada à cidade.




Tópicos relacionados

Incêndio   /    Plano de obras públicas   /    Moradia   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar