Cultura

MACHISMO NO SBT

SBT é processado por constranger Maísa e agredir assistente de palco

Na sexta-feira passada, 22, o Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT-SP) moveu uma ação contra o SBT por danos morais coletivos.

segunda-feira 25 de setembro| Edição do dia

Na sexta-feira passada, 22, o Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT-SP) moveu uma ação contra o SBT por danos morais coletivos. O processo que pede multa ao SBT de R$ 10 mi se dá por casos de constrangimento público que a emissora fez a apresentadora Maísa Silva passar, no Programa Silvio Santos, e também em abril de 2016, quando a assistente de palco Milene Pavorô foi agredida ao vivo no Programa do Ratinho.

Os casos de constrangimento público à apresentadora Maísa envolvem o apresentador Silvio Santos. Segundo o MPT, ela "sofreu grave constrangimento diante da violação de sua privacidade, intimidade e honra, caracterizando lesão aos direitos da personalidade, mediante abuso do poder hierárquico e discriminação do gênero feminino pela forma de tratamento dispensada às profissionais". A denúncia envolve diversos casos em que o apresentador expôs e constrangeu publicamente a apresentadora, chegando a absurdos como perguntar durante a exibição do programa sobre a vida íntima e inclusive a falar sobre o corpo da adolescente em rede nacional.

No segundo caso, o processo envolve o caso que aconteceu ao vivo no Programa do Ratinho, que o apresentador Ratinho chutou a assistente de palco. O chute atingiu a nuca da assistente, que “deu um grito e caiu sentada no chão, visivelmente assustada e possivelmente machucada”, como menciona a nota do próprio processo. O apresentador Ratinho na época se pronunciou sobre a agressão dizendo que respeita o elenco de seu programa, que é de entretenimento e espelhado em um circo.

O SBT recusou-se a assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que estava em negociação com o Ministério Público do Trabalho, alegando que se tratava apenas de uma “encenação” produzida pelo programa e que teria um conteúdo apenas humorístico.

Para além destes casos há também registros de assédio à atriz e modelo Helen Ganzarolli e exposição da modelo e apresentadora Fernanda Lima, para além de diversas situações em que o apresentador Silvio Santos tentou ocultar assédio a moças da plateia com “piadas” e “brincadeiras”.

A emissora SBT não se pronunciou até o presente momento sobre o processo ou os casos de machismo, agressão e humilhação às mulheres em rede nacional.

O Esquerda Diário segue acompanhando este caso e se coloca frontalmente contra toda forma de opressão às mulheres, aos negros, aos LGBTs e os demais setores oprimidos.




Tópicos relacionados

Machismo na TV   /    Cultura   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar