Internacional

TRAGÉDIA CAPITALISTA

Rompimento de represa em Laos, no sul da Ásia, deixa 9 mortos e 6,6 mil pessoas sem casa

Uma represa localizada na região sul do Laos, país localizado ao sul do continente asiático, se rompeu nessa quarta-feira deixando 19 mortos e cerca de 6 mil pessoas tiveram suas casas totalmente submersas.

quarta-feira 25 de julho| Edição do dia

Nessa quarta-feira os moradores da província de Attapeu no sul do país foram atingidos por mais umas das desgraças do sistema capitalista. A represa Xepian - Xe Nam Noy se rompeu, despejando 5 trilhões de litros de água, o que é equivalente a 5 vezes o volume de água útil do Sistema da Cantareira, deixando 19 mortos e centenas de desaparecidos.

A represa vem, desde 2013, sendo palco de um projeto de hidrelétrica, que previa importar cerca de 90% da energia produzida para a Tailândia. No entanto, há anos grupos ambientalistas alertam dos perigos de rompimento da represa e danos que poderiam ser causados tanto a flora e fauna da região, quanto aos moradores que vivem próximos ao Rio Mekong.

Fruto de uma licitação de cerca de 1 bilhão de reais, diversas empresas e associações se envolveram no processo, buscando por sua parcela de lucro no projeto de hidrelétrica que dura mais de 5 anos. Colocando a responsabilidade nas “contínuas chuvas que causaram um volume de água no reservatório” as empresas tentam tirar de si a responsabilidade da tragédia se isentando do fato de que, mesmo com os alertas dos perigos, seguiram com a construção.

O nível de tecnologia que é produzido nos dias de hoje, poderia facilmente ser utilizado para evitar um acontecimento como esse, que fez com que milhares de pessoas perdessem tudo e tivessem suas casas totalmente submersas em consequência de um projeto que sequer as beneficiaria. São mais centenas de desaparecidos fruto da barbárie irracional do sistema capitalista que, ao privilegiar os lucros em detrimento da vida das pessoas, produz diariamente tragédias como essa.




Tópicos relacionados

Crise capitalista   /    Internacional

Comentários

Comentar