ELEIÇÕES 2018

Romário, o candidato do gol contra: golpista e contrário ao direito ao aborto

Sempre com um discurso de combate a corrupção, o senador, em suas práticas e alianças políticas não deixa escapar sua face real de um político corrupto que quer governar pros ricos e pros empresários.

sexta-feira 3 de agosto| Edição do dia

O senador Romário eleito em 2014 com mais de 4,6 milhões de votos na cidade do Rio de Janeiro é um dos principais candidatos ao governo do Estado desta mesma cidade nas eleições que se aproximam. Sempre com um discurso de combate a corrupção, o senador, em suas práticas e alianças políticas não deixa escapar sua face real de um político corrupto que quer governar pros ricos e pros empresários.

Romário entrou na política como candidato pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) – herdeiro da tradição conservadora e golpista da UDN (União Democrática Nacional) – que nunca deixou escapar seu “dna” golpista e votou favorável em todo o processo do golpe institucional. Recentemente, o senador anunciou a desfiliação do PSB para presidir o partido PODEMOS no Rio de Janeiro que se intitula “nem de esquerda, nem de direita” e “não se identifica com a velha política”, segundo ele informou em sua rede social. Parece até piada um pronunciamento desse tipo, um partido que tem como membros filiados o deputado e pastor Marcos Feliciano e o senador e ex-presidente do BNDES Paulo Rabelo dão indícios claros de que se trata de um partido com velhos atores políticos representantes de uma casta política reacionária e corrupta.

O pré-candidato a governador do Rio, inclusive, está sendo investigado pelo Ministério da Fazendo por movimentações financeiras suspeitas na conta de sua irmã, Zoraidi de Souza Faria que viu seu plano previdenciário aumentar numa conta do Banco do Brasil de R$ 700,00 para R$ 4,8 milhões após um empréstimo de Romário. Não bastasse isso, entre os anos de 2015 e 2016 Zoraidi recebeu um empréstimo de R$ 6 milhões da RSF Empreendimentos, empresa que tem a mãe do senador Romário como sócia.

Essa não foi a única vez que Romário foi investigado por suspeita de fraude ou crime, em 2016 a promotora Luciana Bertini Leitão do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios afirmou categoricamente que havia fortes indícios que o Senador Romário havia cometido crime ambiental. Mas, esse processo não foi adiante, e o ministro do supremo Marcelo de Moraes o arquivou posteriormente.

Ao mesmo tempo em que defende um falso combate a corrupção e se livra de crimes com a ajuda de ministros golpistas, Romário é um entusiasta da Lava-Jato, chegando a dizer no plenário no Senado no ano passado que “a faxina ainda não acabou”. Sem sombra de dúvidas, ele se coloca contra os trabalhadores brasileiros que viram o direito democrático de votar em quem quiser sendo arrancado com a prisão arbitrária do ex-presidente Lula. Romário defende esse mesmo judiciário que encarcera a população negra, nega a liberdade de Rafael Braga e vive um vida de ricos, cheia de privilégios e regalias.

No vídeo acima, o senador trata na crise profunda que vivem os cariocas, principalmente a juventude e os trabalhadores negros e a situação precária da UERJ sem mencionar os verdadeiros responsáveis dessa crise. Sua fala passa por fora de responsabilizar empresários e empreiteiros como Jacob Barata e cia e muito menos de denunciar outro crime cometido contra o conjunto dos brasileiros que é o pagamento ilegal da dívida pública. Não pagar a dívida pública, seria uma solução viável para retirar o Rio de Janeiro da crise, onde os milhões de reais que são gastos anualmente com a dívida poderiam ser revertidos em áreas como saúde e educação.

Certamente, Romário não é o candidato que vai batalhar pelo fim das alianças com empresários contra os trabalhadores, ele votou favorável ao processo de impeachement que gerou o golpe contra a ex-presidente Dilma Roussef. Hoje os golpistas seguem atacando e ajustando via reforma trabalhista e reforma da previdência cada trabalhador brasileiro que Romário cinicamente insinua estar preocupado. Essa defesa é tão cínica que quando ele pôde mostrar que estava ao lado da classe trabalhadora na votação da PEC que congela gastos públicos em educação e saúde durante 20 anos se ausentou durante os dois turnos de votação, sem se posicionar contrário a este ataque.

Além disso, Romário se refere à reforma do ensino médio como um fato louvável, uma reforma que favorece empresas privadas do ramo da educação a lucrarem como nunca antes visto na ampliação do ensino técnico em função do desmonte e do ensino médio e a precarização do ensino público.

Romário ainda está lado a lado com o senador Magno Malta (PR) e assina a proposta de Emenda à Constituição nº29 (2015) criada por esse último e que se coloca contra o aborto, pelo direito “da inviolabilidade do direito à vida, desde a concepção”. Ele é contra o direito das mulheres decidirem pela sua própria vida e de não morrerem mais por abortos clandestinos, isso desmascara de vez sua face mais conservadora e mostra também que representa interesses de velhos atores políticos.

Decerto, não será pelas mãos de Romário, candidato a Governador do Rio que a condição precária que o trabalhador carioca vive irá mudar, nem os altos índices de desemprego que assolam a juventude negra carioca irá diminuir, muito menos a realidade cruel das filas de abortos clandestinos que, principalmente, mulheres negras convivem diariamente irá reverter de uma hora para outra. Romário representa os interesses de uma burguesia golpista, sedenta por mais ajustes para garantir seus lucros, faz coro com a reacionária bancada evangélica contra o aborto e tem como aliados velhos políticos conservadores e, é claro, os capitalistas.




Tópicos relacionados

Operação Lava-Jato   /    Eleições 2018   /    Golpe institucional   /    Operação Lava Jato   /    Direito ao aborto   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar