Política

PRESIDENCIÁVEIS NA LAMA

Rodrigo Maia teria recebido o famigerado ’Caixa 3’, segundo inquérito

terça-feira 26 de dezembro de 2017| Edição do dia

A Polícia Federal apontou que existem fortes indícios do recebimento de ’Caixa 3’ por parte de Rodrigo Maia e outros deputados do Rio de Janeiro. O presidente da Câmara dos Deputados, que lidera o centrão e a direita no ataque contra os trabalhadores mas também foi eleito para o cargo com ajuda dos votos do PT e do PCdoB, teria recebido "doações" ilícitas por parte da cervejaria Grupo Petrópolis (fabricante da Itaipava e de muitas outras marcas).

A informação constaria na delação dos executivos da Odebrecht, segundo reportagem da Folha. Na delação, os executivos afirmaram que o Grupo Petrópolis doou, de 2008 à 2014, R$ 120 milhões para a campanha de políticos do estado fluminense.

’Caixa três’ seria o nome dado pelos investigadores para a prática de empresas investirem dinheiro em políticos, em troca de favores, à mando de outras empresa. Uma empresa deve favor à outra, e paga investindo em um político. Só que no caso, o Grupo Petrópolis pagou através de uma empresa que controla, então nada aparece no papel.

A PF, em relatório, afirmou que na prestação de contas eleitoral de Rodrigo Maia de 2014, consta a doação da Praiamar Indústria de Comércio e Distribuição, que é ligada ao Grupo Petrópolis, doando R$ 200 mil à campanha. Já a doação do Grupo Petrópolis, ao diretório nacional do DEM, foi da quantia de R$ 6,1 milhões para Maia neste mesmo ano. César Maia, por sua vez, teria recebido R$ 50 mil do Grupo Petrópolis, quando concorreu e perdeu ao Senado em 2014.

O relatório da PF foi feito em junho e só se tornou acessível no inquérito, no final de novembro. Walter Faria, 12º homem mais rico do Brasil e dono do Grupo Petrópolis, declarou que ficou amigo da Odebrecht quando esta construiu suas fábricas.

Faltou falar sobre a amizade com Cabral e Pezão, que deram milionárias isenções fiscais, tanto para o Grupo Petrópolis, quanto para a Ambev, no estado do Rio de Janeiro.

Leia também: Rodrigo Maia, destruidor da CLT, tem assento de honra em congresso do PCdoB




Tópicos relacionados

Rodrigo Maia   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar