Mundo Operário

RODOVIÁRIOS

Rodoviários de Natal paralisam linhas contra cortes de salário, direitos em meio a demissões

Na manhã dessa segunda-feira, 4, diversas linhas de ônibus de Natal ficaram paradas, fruto de uma importante mobilização dos rodoviários, que paralisaram as linhas, estacionando ônibus em frente ao Sindicato dos Trabalhadores e Transportes Rodoviários, Sintro, próximo ao viaduto do Baldo, na Zona Leste de Natal.

segunda-feira 4 de maio| Edição do dia

Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi

Protestaram por reajuste salarial com a implementação de uma data-base, além da garantia de benefícios como vale-alimentação e passe livre. Além disso, diversos motoristas denunciaram a situação que as empresas, junto ao prefeito Álvaro Dias (PSDB), estão deixando esses trabalhadores em meio a pandemia. Muitos tiveram cortes de salário, outros estão de férias e sem receber, deixando famílias sem como se sustentar em meio a pandemia do coronavírus para salvar os lucros dessas máfias.

Além disso, empresas demitiram no começo do mês cerca de 145 rodoviários, 120 da Trampolim e 25 da Jardinense. Um escândalo que a prefeitura aceite que esses trabalhadores, essenciais para o funcionamento da cidade, estejam sendo jogados na vala comum do desemprego, que aumenta a cada dia no país, para que os empresários salvem seus lucros, não paguem nada por essa crise sanitária e econômica.

Os rodoviários agora prometem parar tudo se não tiverem suas demandas atendidas. Damos todo apoio a esses trabalhadores, e mais, sua luta pode ser ponta de lança de uma batalha pela proibição das demissões e cortes de salário na cidade e em todo estado. Pois não é possível que o prefeito Álvaro Dias, assim como o governo Fátima (PT), sigam a mesma lógica de Bolsonaro de que, para salvar empregos, tem que salvar os lucros patronais.

Em meio a crise do coronavírus os trabalhadores estão a mercê de chantagens da patronal, que pede mais subsídios à prefeitura para não perder dinheiro, ameaçando o emprego, o salário e os direitos dos rodoviários, o que nesse contexto é brincar com suas vidas e fazê-los de bucha de canhão dos seus acordos com a prefeitura.

Alegam queda de 70% no faturamento, pois que abram seu livro de contas para os rodoviários e a população saber a verdade sobre os contratos que tem com a prefeitura. Chega de chantagens! Se os empresários não tem condições de garantir trabalho e direitos, com um transporte tão precário como esses, que deixem os motoristas tomarem conta da situação, assumindo o controle dos transportes, para que assim possam garantir inclusive as condições sanitárias de trabalho. Assim podem colocar os transportes sob interesse de fato dos natalenses e potiguares.




Tópicos relacionados

Natal   /    rodoviários   /    Rio Grande do Norte   /    Demissões   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar