Sociedade

RIO DE JANEIRO

Rio de Janeiro tem o maior número de pessoas baleadas dos últimos 3 anos

Com uma pessoa baleada a cada duas horas, em 2017, o número de feridos por armas de fogo segue crescente no Rio de Janeiro num estado militarizado sob um falso pretexto de guerra às drogas, enquanto os verdadeiros traficantes estão muito longe das áreas de operações policiais sangrentas.

terça-feira 6 de fevereiro| Edição do dia

Imagem: UOL noticias

O estado do Rio de Janeiro teve aumento alarmante do número de pessoas baleadas. Segundo levantamento da GloboNews, tendo estes dados contabilizados apenas em hospitais públicos, só ano passado 4.440 pessoas foram vítimas de tiros, uma média de quase 7 pessoas por dia. A média ultrapassou a dos últimos 3 anos (2014-2016), que era de aproximadamente 5 por dia, dados que já eram extremamente cruéis.

Não à toa houve aumento, já que o Rio de Janeiro prossegue em cenário de barbárie, pois passa por intensa atividade de violentas operações policiais conjuntamente com o exército. Na última terça-feira, dia 30 de janeiro, a Polícia Civil e Militar matou 5 pessoas, em 9 horas de operação, nas favelas da Rocinha, Zona Sul, e Jacarezinho, na Zona Norte da cidade. Na Rocinha, a soma já é de 34 mortos e 20 feridos, nos últimos 4 meses.

O pretexto da guerra às drogas e ao tráfico continua massacrando a periferia e dizimando os ditos "suspeitos": homens e mulheres pobres, em sua maioria negros, moradores das comunidades. Escancara, assim, o papel da Polícia na sociedade, que não é e nem nunca foi o de proteger a população, mas de garantir a manutenção do estado capitalista e a repressão do povo, através do genocídio cotidiano.




Tópicos relacionados

Guerra às Drogas   /    Crise no Rio de Janeiro   /    crise econômica   /    Sociedade

Comentários

Comentar