Política

ALIADOS DE BOLSONARO

Reuniões com empresários, políticos, e agronegócio compuseram maior parte da agenda de Bolsonaro em 2019

Segundo levantamento divulgado nessa sexta-feira, encontros com políticos, empresários e representantes do agronegócio foram os eventos mais recorrentes na agenda do presidente, seguidos de eventos ligados às forças armadas

sexta-feira 3 de janeiro| Edição do dia

De acordo com um levantamento feito pelo Estadão e divulgado nesta sexta feira (03), dos 873 eventos registrados na agenda oficial do presidente Jair Bolsonaro, 124 eram dedicados a reuniões com empresários e representantes do agronegócio, tornando tais reuniões o evento mais recorrente, após reuniões com políticos.

No total, 357 encontros foram dedicados a se reunir com deputados, senadores, prefeitos e governadores. Descontadas essas reuniões, que envolvem cerimônias oficiais, assim como encontros de articulação política, encontros com empresários e eventos com militares e líderes das forças armadas representaram quase metade da totalidade de eventos no ano passado.

Significativos, também, foram os encontros de Bolsonaro com líderes religiosos (46), especialmente líderes evangélicos e a participação em eventos religiosos, como a Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil, organização de grande relevância para sua eleição em 2018 e para a repercussão de discurso reacionário e de extrema direita na população, e a 27ª Marcha para Jesus, em São Paulo. Foi mais do que o dobro do número de encontros dedicados a sindicatos e entidades da chamada sociedade civil, como ONGs - apenas 22 em um ano. Mesmo dentre esses 22 encontros, parte foi dedicada a reuniões com apoiadores da agenda de ataques do governo, como a central UGT, abertamente golpista.

Bolsonaro se reuniu também, por duas vezes, com a viúva do coronel Carlos Brilhante Ustra, assassino e torturador que comandou o DOI-CODI durante a ditadura militar, período durante o qual o estupro era prática comum contra oponentes políticas presas, e onde o ídolo de Bolsonaro, em sua sanha sádica, comumente torturava e molestava crianças.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar