Reunião com comunidade escolar discute a MP da Reforma do Ensino Médio na E.E. Benedita Ribas

No dia 14/10, professores, alunos e pais se reuniram na Escola Estadual Benedita Ribas, para discutirmos a MP da reforma do ensino médio.

segunda-feira 17 de outubro| Edição do dia

No dia 14/10, professores, alunos e pais se reuniram na Escola Estadual Benedita Ribas, para discutirmos a MP da reforma do ensino médio. Diante de tantos ataques do governo golpista na educação, na saúde e todos os setores públicos que são utilizados principalmente pela classe trabalhadora é preciso que todos tenham a clareza do que significa essa reforma.

O presidente golpista, Michel temer, se reuniu no ultimo dia 22/09, junto ao ministério da educação para aprovar a Reforma do Ensino Médio, através de uma medida provisória que entra em vigor após 120 dias se não houver uma mobilização social para barrar essa medida.

Ao se reunir com os ditos especialistas em educação o presidente pretende tirar algumas disciplinas do currículo, como sociologia, filosofia, educação artística e educação física, entre outras medias arbitrárias como a contratação de "profissionais notórios" que não são necessariamente licenciados, buscando aumentar o leque de mão-de-obra, não pensantes para o mercado de trabalho. No entanto os interessados nas melhorias da qualidade da educação não foram consultados.

Os professores e a comunidade escolar não tiveram a possibilidade de participar dessas mudanças radicais no currículo. Há anos os professores vem sido derrotados por governos intransigentes que não dialogam, as principais reivindicações dos professores é por melhores condições de trabalho, pela diminuição dos alunos por sala de aula e valorização dos docentes.

No entanto, além dos professores não serem ouvidos ainda recebem a surpresa de que parte do corpo docente ficará desempregado a partir de 2018. O movimento secundarista se mostra forte e resistente contra essas medidas abusivas, hoje já são mais de 400 escolas ocupadas no Paraná e vários outros estados, contra a MP da reforma do Ensino Médio e a Pec 241 que congela os orçamentos para o serviço público durante 20 anos, o movimento secundarista saiu vitorioso o ano passado contra a reorganização de Alckmin, e este ano os alunos continuam lutando pela escola pública.

É preciso que todas as escolas chamem reuniões com pais, alunos e professores para discutirem a Reforma do Ensino Médio de forma que todos tenham contato com o documento. Se houver alguma reforma na educação que emerja das necessidades da população que utiliza esse serviço. Não vamos permitir que essa reforma venha de cima e nem tampouco uma reforma que vai servir aos interesses desse governo que não se preocupa com a educação nem tampouco dialoga com a população, mas quer cortar gastos, e quer que a educação dos filhos da classe trabalhadora pague por isso. Sigamos o exemplo da Escola Estadual Bendita Ribas e façamos milhares de assembleias onde a população seja esclarecida e possa refletir e opinar sobre a escola que quer e que atenda suas necessidades.




Tópicos relacionados

Reforma do Ensino Médio

Comentários

Comentar