Sociedade

ESPORTE

Resquícios da Copa: vereador quer incentivos fiscais para liquidar dívidas do Itaquerão

terça-feira 19 de dezembro de 2017| Edição do dia

O vereador Romeu Tuma Jr propôs na última segunda feira a liberação de R$310 milhões em Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento, os CIDs para o Itaquerão, construída às pressas pela Odebrecht, junto com o presidente à época e candidato atual do Clube, Andrés Sanches, que se aproveitou dos "holofotes" da copa, concorreu e foi eleito deputado federal pelo PT-SP, cargo que praticamente abandonou, por dedicar-se descaradamente para as eleições do Clube, algumas denúncias do MP por sonegações e até de algumas "facilidades"para tal construção do estádio e envolvimentos com Lula, ex-presidente do País e que teria intermediado as conversas com a construtora, que esta metida em vários escândalos de desvios de verbas, entre vários outros crimes.Este pedido de Tuma Jr, que também tem ligações diretas com a política do SCCP e é candidato á presidência do clube, prevê numa emenda do Projeto de lei 686/2017 que sejam incluídas nas contas da Prefeitura R$350 milhões, além dos R$40 milhões que já estavam previstos no orçamento de 2018, a emenda foi aprovada em primeira votação.

Tuma Jr justifica dizendo: "É um compromisso da prefeitura com o clube. O Corinthians fez o estádio com essa garantia. Ele é credor disso. Precisa desse recurso para liquidar a dívida. O Corinthians tem esse crédito. É do interesse do clube e da coletividade. O incentivo para a zona leste foi realizado. A prefeitura precisa prever esse recurso", disse Romeu Tuma Jr. à reportagem do UOL Esporte.

Em 2011, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou a concessão de incentivos à construção do estádio. O valor total era R$ 420 milhões. Corrigido, ele chegaria a R$ 490 milhões - o valor proposta para liberação faz parte deste montante. Até março deste ano, R$ 42,5 milhões tinham sido negociados.

A maioria foi comprada por consórcios com a participação da Odebrecht. Quem compra os certificados, com desconto no valor de face, usa os documentos para quitar impostos municipais em troca de promover o desenvolvimento da Zona Leste de São Paulo, região onde a Arena foi construída.

Este é um simples exemplo da cara de pau, desrespeito com munícipes, torcedores ou não do SCCP, ou de qualquer time, com o dinheiro público e descaso com eleitores da cidade, que puseram e poem sua confiança em políticos com interesses maiores e em seus benefícios clubísticos e pessoais.




Tópicos relacionados

Esporte   /    Sociedade

Comentários

Comentar