Sociedade

TORTURA

Repúdio à chocante tortura contra um adolescente em São Bernardo

Declaração de Maíra Machado, ex-candidata à vereadora pelo PSOL de Santo André

domingo 11 de junho| Edição do dia

Quando vi o vídeo que estava sendo compartilhado aos milhares na internet, de um menino, coagido, assustado, paralisado frente à tortura que vivia. Sendo obrigado a repetir inúmeras vezes do que estava sendo acusado. Foi imposto a ele que “pedisse” uma tatuagem na testa, uma marca para sempre, com dizeres gritantes: “ladrão e vacilão”. Fiquei estarrecida e revoltada com tamanha violência, legitimada por uma sociedade degradada, vítima da decadência capitalista.

Ruan, jovem de 17 anos, morador da periferia de São Bernardo do Campo, vaga pelas ruas da cidade, sem rumo, vítima de nascença da miséria, da violência, do tráfico de drogas. Foi acusado de roubo e como punição foi torturado e filmado em sua tortura, para servir de escárnio e exemplo para que a lição seja tomada por todos os jovens pobres, filhos da classe trabalhadora. O menino estava sumido desde o dia 31 de março, foi encontrado vagando pelas ruas, com uma marca definitiva para sua vida e exposta em sua pele.

“Bandido bom é bandido morto”, é a expressão de uma ideologia de classe, que estimula o assassinato de centenas de jovens negros e pobres todos os dias nas mãos da polícia e que mune a sociedade de ódio e desejo de vingança, que permite a justiça com as próprias mãos desferida contra a maioria de trabalhadores e trabalhadoras de nosso país.

Assim, são milhares de jovens que apodrecem encarcerados nas cadeias, sem julgamento e sem nenhuma pena determinada, enquanto políticos e empresários corruptos e cheios de sede de lucro, seguem impunes e aliados com todos os poderosos pra que sejamos nós os punidos por essa sociedade.

Repudio a violência e a tortura sofrida por Ruan. Me solidarizo por ele e por toda a sua família. Luto por uma sociedade livre do racismo, da opressão e exploração. Basta de Ruans marcados por essa sociedade de injustiças.

Eu e a Equipe do Esquerda Diario nos colocamos a disposição de Ruan e sua família caso queiram dar voz a sua historias.




Tópicos relacionados

Sociedade

Comentários

Comentar