Política

ATENTADO

Repudiamos energicamente o ataque a produtora de “Porta dos Fundos”

Repudiamos energicamente o atentado sofrido pela produtora do canal humorístico Porta dos Fundos.

quarta-feira 25 de dezembro de 2019| Edição do dia

Na madrugada do dia 24 a produtora do canal “Porta dos Fundos” foi atacada em um atentado usando coquetéis molotov. O assunto repercutiu imediatamente nas redes sociais e foi vivo assunto em tantas conversas natalinas. Os robôs bolsonaristas ergueram imediatamente a hashtag “Portadosfundoslixo”. O canal humorístico é alvo de ataques virtuais da extrema-direita religiosa e política, o que aumentou depois de seu especial natalino que retratou um Jesus Cristo homossexual. Bolsonaro,e Moro, nem Witzel ou Crivella se proncunciaram sobre o ataque de extrema-direita ocorrida na véspera do Natal no Rio de Janeiro.

O “Canal Porta dos Fundos” divulgou a seguinte nota após o atentado sofrido:

O humorista Fabio Porchat, integrante do Porta dos Fundos, postou em seu twitter frase da música “Divino e Maravilhoso” de Caetano e Gil, frequentemente entendida como símbolo de resistência ao autoritarismo e a extrema-direita, imortalizada na voz de Gal Costa: “é preciso estar atento e forte”:

As reações ao atentado de extrema-direita tem grande repercussão na mídia. Como era de se esperar a extrema-direita gera hashtags contra o canal, e suas principais figuras políticas nada falaram sobre o atentado. A grande mídia apesar de noticiar o atentado não deu importância em seu noticiário.

Importantes figuras da cultura e das redes socias brasileiras se pronunciaram sobre o atentado:

Algumas se pronunciaram temendo radicalização:

A indignação diante de um atentado de direita renovou apreensões em diversos setores, no mesmo país que ainda carrega uma ferida aberta do golpismo com o mandante do assassinato de Marielle ainda impune, com o caso nada esclarecido.

Desse ponto de vista não confiamos que as autoridades irão investigar um atentado que pode ter envolvimento de forças repressivas ou de associados políticos e religiosas das mesmas. É preciso de uma investigação independente e mais que isso da organização da juventude e dos trabalhadores desde seus locais de trabalho e estudo, para com sua organização, a partir do começo do ano, organizar as forças não somente para dar combate à extrema direita mas para enfrentar cada um dos ataques econômicos em curso.




Tópicos relacionados

Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar