Política

Repudiamos a repressão de Temer com as Forças Armadas

Temer acaba de anunciar o uso de Forças Armadas para conter a mobilização de caminhoneiros. Repudiamos a repressão.

sexta-feira 25 de maio| Edição do dia

Temer acaba de anunciar o uso de Forças Armadas para conter a obstrução das estradas, o que conforme constam declarações, é um movimento que está sendo apoiado e financiado por setores patronais.

Repudiamos esta ação absurda e qualquer forma de repressão do governo contra este movimento. Esse tem sido o recurso do golpismo contra toda forma de protesto das massas. Um forte exemplo disso foi a Intervenção Federal, que segue ocorrendo no Rio de Janeiro, tirando a vida de centenas de jovens negros. A própria vereadora Marielle foi executada justamente por denunciar o uso da força policial e do exército para reprimir a população mais pobre e trabalhadora.

Sabemos que neste caso há setores patronais por trás da mobilização. Tanto é assim que na noite passada (24/05), o acordo firmado beneficia os donos de transportadoras, já que o subsídio do diesel favorecerá apenas aqueles que fazem uso comercial de caminhões, aumentando seu lucro ao reduzir seu gasto com o combustível, o que em nada significará redução para a população, que vem sofrendo com o crescente aumento da gasolina e do gás, como denunciamos aqui.

Mesmo assim, sabemos que essa repressão servirá para recrudescer as formas da repressão do estado contra as legítimas greves de trabalhadores e protestos populares. Por isso, não só repudiamos a ameaça de Temer como exigimos que toda a população seja beneficiada com a redução do custo do combustível, o que só será possível com uma Petrobras 100% estatal, administrada pelos trabalhadores e sob controle popular, eliminando os interesses dos acionistas e capitalistas que controlam uma enorme parcela da empresa.

Para isso, o papel da luta dos trabalhadores, independente dos patrões e com seus próprios métodos, é fundamental. Em primeiro lugar dos petroleiros, que a partir de sua paralisação e greve podem garantir a conquista de uma Petrobras que funcione de acordo com os interesses e necessidade da população. Exigimos também das centrais sindicais, em especial CUT e CTB, que tracem um plano de luta para colocar todas as categorias à serviço dessa conquista e da luta pela anulação de todos os outros ataques implementados pelos golpistas.

É apenas assim, com os trabalhadores à frente dessa batalha e sem a menor confiança nos patrões que seremos capazes de garantir que qualquer redução seja feita sem favorecer os lucros dos patrões e de maneira a garantir o conjunto das necessidades da população.




Tópicos relacionados

crise combustíveis   /    Governo Temer   /    Política

Comentários

Comentar