Mundo Operário

METRÔ

Repressão no Metrô/SP: cipistas são punidos por reivindicar a segurança de trabalhadores e usuários

segunda-feira 11 de novembro| Edição do dia

Poucas semanas após punir arbitrariamente com suspensão um trabalhador, Ricardo "Che", representante eleito de Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), por exercer seu mandato apresentando em reunião posições dos trabalhadores sobre a segurança no trabalho (como denunciamos aqui), o Metrô de SP na última semana aplicou mais uma punição de forma muito semelhante, desta vez com uma advertência contra o vice-presidente da CIPA da Linha 1, Guarnieri.

Com o novo código de conduta da empresa se instaurou uma verdadeira lei da mordaça, onde não se pode mais emitir reivindicações ou apontar problemas para evitar riscos de acidente contra trabalhadores e os milhões de usuários do metrô, sob pena de perseguição pela empresa e punição por suposta "falta de urbanidade". 

Suas punições se somam a outras dezenas que o Metrô de SP está aplicando em seus funcionários, para intimidar e garantir que o projeto privatista de Doria e Bolsonaro avance no transporte de São Paulo. As consequências disso são passagens cada vez mais caras e um transporte cada vez mais precário, que só visa o lucro das concessionárias em detrimento da qualidade e preço pagos pela população. 

Em tempos de golpismo e ataque aos direitos dos trabalhadores, é fundamental a unidade para barrar a ofensiva repressora da empresa sobre seus funcionários. Uma campanha em frente única contra a repressão se faz urgente para todos os patrões saberem que se atacam um, atacam todos. Assim a chapa 4 Nossa Classe Metroviários fez um chamado para todas as chapas que concorreram às eleições do sindicato dos metroviários de SP. Reiteramos esse chamado para que todas as forças políticas da nova diretoria levem a frente essa tão necessária luta. 

Reproduzimos a baixo moção de repúdio a mais essa absurda punição, assinada pelo sindicato dos metroviários, setorial de operadores de trem linha 1 e demais bancadas dos eleitos nas CIPAs: 

Moção de repúdio a mais uma perseguição da empresa contra os metroviários

O vice-presidente da CIPA Linha 1, Felipe Guarnieri, foi punido de forma arbitrária com uma advertência escrita da supervisão por suposta "falta de urbanidade".

O cipista atuava, de acordo com as exigências de seu mandato, em reunião da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) no dia 06/11/2019, reivindicando o cumprimento das Normas Regulamentadoras de segurança do trabalho, em particular da norma que determina que, na ausência de consenso deve-se proceder a votação, para que fossem apreciados relatórios recomendando a realização de contratações para reposição de quadro operativo – cuja redução aumenta o risco de acidentes e adoecimento -, e recomendando a retirada da punição também arbitrária sofrida por Ricardo Lourenço Che (CIPA Linha 2), de forma muito semelhante.

Toda a bancada de representantes eleitos pelos trabalhadores para a CIPA, presente na reunião, atesta que Guarnieri não agiu de forma desrespeitosa ou que de qualquer modo caracterizasse “falta de urbanidade”.

Com essas punições a empresa busca intimidar os trabalhadores, e em particular intimidar os membros das CIPAs, para que não atuem contra as violações das Normas Regulamentadoras da segurança do trabalho. Dessa forma, são ataques a todos os trabalhadores, e ameaças à segurança de toda a população que utiliza o Metrô.

Mais uma vez, o Metrô mostra que quer calar a voz dos trabalhadores que lutam por seus direitos, por medidas que visam garantir a saúde e segurança dos funcionários e assim oferecer um transporte mais seguro à população. Mas não vão conseguir. Vamos fortalecer ainda mais a nossa mobilização no estado de greve, usando o adesivo, organizando setoriais nos locais de trabalho, lotando a assembleia na próxima terça-feira (12/11), e lutando contra a precarização do trabalho, o ataque as nossas jornadas e a perseguição aos nossos ativistas. Quem falta com respeito são eles, não nós trabalhadores! Basta de assédio e perseguição! Pela retirada imediata de todas punições aos ativistas!

Sindicato dos Metroviários de SP

Setorial JAT escala B

Bancadas eleitas:

CIPA linha 1
CIPA linha 2
CIPA linha 3
CIPA linha 15
CIPA Manutenção Linhas
CIPA PIT
CIPA Edificios




Tópicos relacionados

Acidentes de Trabalho   /    Repressão   /    Metrô   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar