×

Natal | Repressão da PM de Fátima à ocupação em Natal: unificar as lutas contra as enchentes no RN!

Na noite desta terça-feira (5), a Polícia Militar de Fátima Bezerra (PT), invadiu a Ocupação Emmanuel Bezerra e covardemente reprimiu as famílias e crianças que já vem sofrendo com as chuvas. Chamamos todos a participarem do ato em frente a Governadoria nesta quarta-feira, às 9 da manhã! É preciso organizar nossa luta, unindo trabalhadores, moradores de ocupação, estudantes e setores oprimidos para lutar contra a repressão e as enchentes!

quarta-feira 6 de julho | Edição do dia

A polícia também ameaçou as lideranças da ocupação de tiro e prisão. Celulares foram quebradores e prenderam um morador da ocupação.

De forma odiosa e truculenta, a polícia chegou a apontar fuzis para crianças e para as mais de 30 famílias, ameaçaram atear fogo na ocupação e também ameaçaram matar todo mundo. Um coordenador do MLB (Movimento de Luta de Bairros, Vilas e Favelas) foi preso pela polícia e foi espancado.

Diante do descaso do governo de Fátima Bezerra e do prefeito de Natal Álvaro Dias (PSDB), bem como do presidente Bolsonaro (PL) com a questão das chuvas, sem garantir saneamento das chuvas para evitar enchentes e tragédias, essas famílias da ocupação vem perdendo tudo o que tem com os alagamentos, como suas roupas, eletrodomésticos, alimentação, e agora sofrem com as agressões e repressão da PM.

Marie Castañeda, coordenadora do Centro Acadêmico de Ciências Sociais da UFRN e militante da Faísca Revolucionária, comentou em seu Twitter mais essa ação violenta da polícia:

É importante lembrar que o prefeito Álvaro Dias ameaçou despejar a ocupação Palmares, que teve dezenas de famílias atingidas pelas chuvas. O mesmo prefeito que não fez mais que tapar buracos da cidade para se eleger, e impôs um Plano Direto a serviço dos empresários do turismo, da hotelaria e da construção civil, atacando diretamente o meio ambiente. E que não responde ao déficit habitacional de 70 mil famílias sem casa em Natal, despejou várias vezes moradores de rua no Viaduto do Baldo, assim como a estrutura precarizada em bairros da Zona Oeste e Zona Norte.

É preciso impor pela luta a execução de um plano de emergência coordenado e controlado por representantes das famílias atingidas, junto aos trabalhadores da construção civil e saneamento, aos sindicatos e entidades estudantis. Um plano de socorro com brigadas de trabalhadores e populares, que mobilize recursos para gerar abrigo e alimento às famílias, socializando salas de hotéis e resorts de luxo e expropriação de imóveis ociosos para ocupar as famílias desocupadas. Que imponha um plano de obras públicas controlado pelos trabalhadores e controle popular, que reconstrua as casas destruídas, aprimore as existentes e construa moradias populares seguras e de qualidade; promova um sistema de armazenamento e drenagem nas vias e lagoas de captação para prevenção das áreas afetadas e as que sofrem possibilidade de inundação, e também melhoras e ampliação do saneamento urbano para bairros, sobretudo da ZO e ZN, que dê dignidade às famílias e despolua as praias e rios, também gerando emprego e renda frente a essa crise. Que preserve e revitalize as zonas de proteção ambiental, as comunidades tradicionais pesqueiras, ribeirinhas e indígenas, contra a proposta de Porto de Natal do Senador Jean-Paul Prates. Todo corpo técnico e científico das universidades e institutos federais do estado e de outras regiões devem se colocar a serviço monitorar as chuvas e locais de risco e de construir esse plano ao lado dos trabalhadores e população, envolvendo arquitetos, engenheiros, cientistas sociais, invertendo as prioridades do conhecimento produzido hoje voltado ao desenvolvimento de patentes e tecnologia para dar lucro pros empresários.

Também é preciso batalhar pelo fim da polícia, essa instituição burguesa, autoritária e racista, que só serve para reprimir a classe trabalhadora e o povo pobre negro e periférico, a serviço de garantir os interesses dos capitalistas. Repudiamos completamente essa ação truculenta e revoltante da PM de Fátima Bezerra, que escancara como o seu governo de conciliação de classes está se colocando a serviço de reprimir os trabalhadores e as camadas mais pobres da população, e que agora sairá aliada nessas eleições com ninguém menos que os Alves, tendo Carlos Eduardo Alves como candidato ao Senado, ex-prefeito de Natal por vários anos, que teve Álvaro Dias de vice.

Chamamos todos a participarem do ato que vai acontecer na Governadoria às 9hrs da manhã!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias