Política

SENADO

Renan recebeu apoio do PMDB para fazer acordo com STF

O senador peemedebista recebeu conselhos de seus aliados nos ultimos dias sobre os próximos passos em sua relação com o STF. Antes de ser anulado seu afastamento da presidência do senado, Renan buscou seus aliados para discutir o que fazer.

quinta-feira 8 de dezembro de 2016| Edição do dia

O debate se dava em torno do projeto contra o "abuso de autoridade" de juízes e promotores, por um lado, do outro o STF pressionando Renan com 12 processos (8 deles na Lava Jato), o afastando da presidência do senado. Os conselhos levaram Renan a posição de hoje, onde aceitou o suposto acordo com o STF.

Dentre os visitantes do PMDB, esteve José Sarney, que juntos conversaram varias horas em 3 dias. Outros como os senadores Eunício Oliveira (CE) e Romero Jucá (RR) estiveram juntos de Renan.

O tom dos conselhos era: não seguir adiante com a proposta de abuso de autoridade e, como regra desde já, não tocar mais no assunto. Como mostra o decorrer dos fatos, teve total acordo, tendo tido a sua decisão comemorada pelos peemedebistas.

O "clima" que fica é que Renan teria feito algum tipo de acordo com o STF para não ser afastado. Em tom irritado responde que "sinceramente você que é possível fazer algum tipo de acordo com o STF? Isso é um desreipeito com o poder". Porém, segue a risca os conselhos de Sarney e do PMDB.

Como uma moeda de troca, não toca mais no assunto de abuso de autoridade, se mantém na presidência e segue a agenda para aprovar mais ataques contra os trabalhadores, como a PEC 55.

Leia também:
Legislativo e Judiciário se disciplinam à aplicação dos ajustes




Tópicos relacionados

Renan Calheiros   /    Senado   /    Política

Comentários

Comentar