Política

CRISE INSTITUCIONAL

Renan pretende aceitar pedido de impeachment de Janot: Mais um salto na crise institucional?

quinta-feira 16 de junho de 2016| Edição do dia

As delações promovidas por Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro que atingem todo alto escalão do governo golpista, incluindo o próprio Temer, levaram ao pedido de prisão de Renan, Romero Jucá, Sarney pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, mas que recebeu negativa de Teori Zavascki abrindo uma enorme crise entre o Legislativo e o Judiciário.

O pedido de prisão de Renan e seus comparsas é um abalo dentro de um governo já enfraquecido, que tem em sua conta à queda de três ministros e inúmeros políticos sendo investigados pela Lava-Jato. E tendo desde onde se apoiar, seguem impunes frente a um regime corrupto cujo objetivo principal é livrar a cara de quem tem mais influência, dinheiro, e pode garantir que os ataques ao conjunto dos trabalhadores e da juventude possa ser mais eficazmente aplicado.

Renan chegou a acusar de abuso de poder o Ministério Público Federal, além de “esdruxulo” e “ridículo” o pedido de prisão, além de declarar que cogita que as gravações vazadas de Sergio Machado tenham sido orientadas pelo próprio procurador. Em resposta, procuradores da República soltaram declaração em favor de Janot, que na última eleição foi o mais votado, e por fim escolhido na listra tríplice encaminhada a Presidência da República.

Não é preciso grande esforço para entender que o que está em jogo não são os bilhões desviados dos cofres públicos, dinheiro que seria utilizado para resolver questões básicas da população, mas sim quem será o partido forte que garantirá seus interesses específicos frente à crise institucional que está aberta.

A própria Lava-Jato, que é um artigo de luxo para lavar a cara dos golpistas, não consegue gerar mais que instabilidade ao regime que goza cantar vitória do Golpe que acabaram de promover, pois não aparece como a responsável pela limpeza dos políticos corruptos, já que vários deles, inclusive o próprio presidente, estão sendo investigados e nada lhes acontece, ao contrário, buscam todos os artifícios para que não sejam presos, ou seja, a Lava-Jato nada mais que uma moeda de troca para manter os corruptos à frente do país.

Por isso é mais que necessário avançar nas mobilizações dos trabalhadores e da juventude que coloque abaixo o governo golpista de Temer, e desses corruptos conhecidos da população, impondo uma constituinte para colocar a frente as demandas mais sentidas da população, e impedindo que avancem mais sobre nossos direitos.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    "Partido Judiciário"   /    Renan Calheiros   /    Crise no governo   /    Política

Comentários

Comentar