Política

CRISE NAS ALTURAS

Renan Calheiros se articula com Palácio do Planalto, Câmara dos Deputados e TCU contra Judiciário

O presidente do Senado, Renan Calheiros, buscou apoio do Palácio do Planalto, da Câmara dos Deputados e do Tribunal de Contas da União para ações que tem levado adiante no Congresso Nacional contra o Judiciário e o Ministério Público. As movimentações de Renan foram assunto de um encontro com o Temer, Rodrigo Maia, chefe da Câmara, e Aroldo Cedraz, presidente do órgão de fiscalização de contas.

Guilherme de Almeida Soares

São José dos Campos

segunda-feira 14 de novembro| Edição do dia

Num almoço realizado no sábado, 12, na residência oficial do Senado, participaram também o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira; o secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimento, Moreira Franco; o ex–presidente José Sarney; e outros dois ministros do TCU, Bruno Dantas e Vital do Rêgo Filho. Renan Calheiros afirmou aos presentes que a comissão criada na última quarta (09) para investigar os contracheques de quem ganha acima do teto do funcionalismo vai ‘’incomodar muito’’.

O presidente do Senado disse também apontou como contrassenso o fato de, atualmente, os juízes receberem como pena máxima diante de infrações a aposentadoria compulsória.

Apesar de Temer não ter feito nenhum comentário a respeito, nas avaliações colocadas e em conversas entre integrantes da cúpula do Congresso, o entendimento é de que o avanço das investigações servirá para mostras as ‘’mazelas’’ do Judiciário, em um momento em que vários setores da sociedade e os parlamentares discutem a PEC 241 sobre o teto dos gastos públicos.

Em meio ás argumentações de Renan Calheiros, o presidente do TCU se colocou á disposição para ajudar no levantamento e cruzamento de dados dos super salários. O filho do Aroldo, o advogado Tiago Cedraz, é citado em depoimentos do empresário Ricardo Pessoa, dono da UTC Engenharia e um dos delatores da Lava Jato.

Esta reunião de Renan Calheiros com Temer e outros membros do governo, mostra que a crise que se abriu entre o Senado e o Judiciário por conta da Operação Mértis, esta muito longe de terminar. Conforme escrevemos neste texto aqui, Renan Calheiros busca desgastar a ala do Judiciário que gira em torno da ministra do Supremo Tribunal Federal Carmen Lucia, para fortalecer a ala que esta mais ligada ao governo de Temer.

A articulação desta reunião mostra que o Senador Renan Calheiros está disposto a assumir uma linha mais de ‘’enfrentamento’’ com o Poder Judiciário. Frente a grande possibilidade de Temer ser derrubado com as delação premiada de Marcelo Odebrecht e a possível delação premiada de Eduardo Cunha, o presidente do Senado e aliado do atual governo sabe que para o atual governo se manter terá que se enfrentar mais com o Judiciário e o Ministério Público.

Fica claro nesta reunião que Michel Temer e Renan Calheiros vão usar do "combate ao super salários dos magistrados’’ para legitimar as medidas impopulares contra os trabalhadores e demais setores populares da sociedade. Sem questionar os seus próprios super salários e privilégios, Renan e Temer querem dar um ar ‘’democrático’’ para os ataques que estão por vir.

Conforme escrevemos neste site, a ala em que Renan Calheiros faz parte tenta buscar um consenso para impor as medidas impopulares contra os trabalhadores e demais setores populares da sociedade, enquanto a ala do Judiciário que gira em torno de Carmem Lúcia quer que os ataques sejam impostos imediatamente. Frente esta disputa, é preciso que os trabalhadores e demais setores populares da sociedade se coloquem de forma independente contra o super – salário dos magistrados e políticos da ordem, mas também contra as medidas impopulares do governo de Michel Temer.




Tópicos relacionados

PEC 241/55   /    "Partido Judiciário"   /    Renan Calheiros   /    Senado   /    Política

Comentários

Comentar