Política

ELEIÇÕES 2018

Religiosos cultuam Jair Bolsonaro no Rio Jordão

Um episódio mostra bem o caráter da candidatura do reacionário Jair Bolsonaro. De acordo com o Jornal Estadão, um homem pergunta para 70 fiéis que formam o número 17 nas águas do Rio Jordão ''Quem é o nosso lider?'' e a plateia responde ''Bol-so-na-ro''.

quinta-feira 4 de outubro| Edição do dia

Imagem: Reprodução

Anteriormente, o próprio Jair Bolsonaro fora batizado ali, recebendo o sacramento de ninguém menos do que Pastor Everaldo, seguidor da Assembléia de Deus e presidente do PSC. Este fato mostra que a maneira de fazer política da extrema-direita é tratar milhares de pessoas como gado e não como pessoas que tem o mínimo de senso critico.

O vídeo dos fiéis entoando ’’mito’’ é apenas mais uma das mensagens que unem simbologia religiosa á candidatura do reacionária que crescem na internet conforme a campanha avança. Já no WhatsApp, correntes religiosas que remeteriam aos candidatos tem feito sucesso na internet. Duas mensagens que circulam na internet e que estão fora do contexto são ’’Jair se levanta para defender o povo de Deus’’ e ’’Hadade foi adversário do povo de Deus, pois o detestava’’, mostrando que aqueles que estão por trás da candidatura do reacionário não possui nenhum escrúpulo em manipular a opinião de milhares de pessoas para votar no seu candidato.
Veja o vídeo abaixo:

De acordo com lideranças religiosas e pesquisadores ouvidos pela reportagem do Estadão, não se trata de um fenômeno novo. O exemplo mais claro disso é um dos lemas principais da campanha de Bolsonaro que é ’’Brasil acima de tudo e Deus acima de todos’’. O principal lema de campanha de Bolsonaro mostra que estes movimentos não são isolados e sim algo que é pensado.

Quando Bolsonaro fala ’’Brasil acima de tudo’’, na verdade ele quer tentar justificar os interesses dos grandes empresários como se fossem interesses da nação. Quando Bolsonaro afirma que ’’Deus acima de todos’’, na verdade ele quer impor seus valores reacionários para a maioria da população. Ele quer impor o seu machismo, racismo e homofobia contra negros, LGBTs e mulheres.

Pastor da Assembleia de Deus Vitoria em Cristo, o deputado Sostenes Cavalcante diz que as manifestações de apoio com referências bíblicas são naturais dos evangélicos. Já para Marco Feliciano, deputado federal e pastor que está lançando sua reeleição para Câmara pelo Podemos: ’’Toda palavra contida na Biblia foi escrita por homens e mulheres por inspiração divina. Qualquer referência deve ser encarada para o bem, demonstra conhecimento do povo de Deus pela palavra e intimidade para fazer uma analogia bem-humorada’’.

Estes discursos da bancada evangélica que já declararam apoio a Jair Bolsonaro, só reafirma que não se trata de um movimento isolado e sim bastante consciente. Com o avanço da extrema direita através da figura de Jair Bolsonaro e também do golpe institucional, o quer este setor que está dentro da congresso quer é fazer com que se retroceda com questões democráticas elementares, principalmente no que envolve as mulheres e LGBTs.

De um lado, esta idolatria pelo Jair Bolsonaro é consequência de um movimento consciente por aqueles que estão por trás de Bolsonaro e de sua candidatura. Tudo que este setor quer é que a base eleitoral que apoia a candidatura do deputado reacionária de extrema-direita não reflita e não pense sobre as suas propostas e também quem é a pessoa que estão apoiando. Isto reflete nos eleitores questionando fatos óbvios sobre Jair Bolsonaro envolvendo seus discursos asquerosos, mas também sobre os seus privilégios e chega a níveis extremos.

Jair Bolsonaro não quer que a sua base tenha o minimo de senso critico, porque quer ter algum apoio que legitime suas medidas reacionárias e contra os trabalhadores e demais setores populares da sociedade. O que Bolsonaro tem mais medo é que seus eleitores questionem as medidas do seu ’’Posto Ipiranga’’ Paulo Guedes e outras medidas reacionárias como o projeto de Escola Sem Partido que visa silenciar os professores e fazer com que a escola mantenha o pensamento monolítico dentro das escolas.

Do outro lado, o Bolsonaro consegue dialogar com elementos bastante atrasados na nossa sociedade que se colocam contra questões democráticas elementares da nossa sociedade, como o Estado Laico. Não é toa que a conhecida bancada evangélica, que é igualmente contra o Estado Laico, já declarou nesta semana que irá apoiar a candidatura do deputado reacionário do PSL para presidência do Brasil. Se depender deste povo, muita gente vai para a fogueira.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar