QUEM É O RELATOR DA REFORMA POLÍTICA?

Relator da reforma política é cartola e teve patrimônio aumentado em mais de 10 vezes

Vicente Cândido (PT-SP) tem sálario de 70 mil Reais aproximadamente, entretanto sua conta bancaria declarada, passou dos 2 milhões nas eleições de 2014, obtendo um um salto de mais de 10 vezes. Em 2006 ele declarou ter 170 mil de patrimônio.

segunda-feira 24 de julho| Edição do dia

Vicente Cândido (PT-SP), o relator da reforma politica tem um passado de intrincada relações com Marco Polo Del Nero, com o qual também foi sócio em um escritório de advocacia com o atual presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), além de exercer cargo de deputado federal é Diretor de Relações Internacionais da CBF, com o os dois salários, com os absurdos R$33,7 mil reais de sua vida parlamentar mais R$35 mil Reais do cargo na confederação o petista teria uma renda fixa de aproximadamente R$70 mil Reais, sua conta bancaria declarada, entretanto, passou dos 2 milhões nas eleições de 2014, obtendo um um salto de mais de 10 vezes, em 2006 ele declarou ter 170 mil de patrimônio.

Perfil

O Deputado Vicente Candido (PT-SP) iniciou sua carreira politica em Durante a gestão da prefeitura de Luiza Erundina em São Paulo (1989-1993), quando foi administrador regional do Campo Limpo e presidente do PT paulistano. Se formou em direito pela FMU, logo após acabar a graduação, em 2007, o deputado se tornou sócio de um escritório com Marco Polo Del Nero num escritório de advocacia. No mesmo ano foi nomeado vice-presidente regional do ABC na Federação Paulista de Futebol, na época presidida por Marco Polo, acusado por corrupção pelo FBI, a policia federal norte-americana.

Vicente Cândido foi citado na delação da Odebrecht e indiciado por Edson Facchin, relator da operação Lava-Jato em inquérito, por suposto recebimento de R$ 50 mil Reais dados pela empreiteira para facilitar a operação da construção do estadio do Corinthians, em Itaquera. O Deputado foi relator da Lei Geral da Copa do Mundo no Brasil. Nessa função alterou o Estatuto do Torcedor para permitir a venda de bebidas alcoólicas nos estádios, como mandou a Fifa.

Se tornou deputado federal em 2010 e tem relações próximas a Aécio Neves, João Dória e o ex-presidente Lula, foi escolhido o relator da Reforma Politica por Rodrigo Maia, que também é intimo. Para a sua eleição de presidente da câmara Vicente foi o escolhido para angariar votos do PT, conseguindo "32 votos no PT para o Maia do total de 58" no segundo turno da eleição, conforme afirmou ao Jornal Estado de São Paulo. É também defensor ferrenho da legalização do jogo no Brasil.

A Reforma

A Reforma Politica, que deve ser votada até Setembro, quando termina o prazo de um ano anterior no qual os deputados devem votar a regra para as eleições em 2018, segundo a constituição só valem medidas aprovadas com pelo menos um ano de antecedência do pleito. Ela deve se concentrar em 4 pontos principais segundo admitem fontes do governo ao Jornal Folha de São Paulo, são elas a mudança da legislação ao voto "distritão", o estabelecimento de um alto fundo partidário de aproximadamente R$ 3 Bilhões de Reais em vista da proibição da doação empresarial de campanha, a discussões sobre o fim das coligações e a aprovação de uma cláusula de barreira.

No começo do mês de Julho, Romero Jucá cacique do PMDB, havia anunciado uma mudança que beneficiaria o PMDB e partidos defensores das reformas. A vertente não mudou ao que parece, mas deputados agora querem votar uma reforma mais enxuta, visto a fragilidade de Temer de impor condições mais severas.

O voto distritão, promete a mudança do voto direto aos deputados mais votados, estabelecendo um sistema que favorece caciques regionais e grandes figuras com altos financiamento não mais de forma proporcional como é hoje, isso ainda está em discussão e existe a possibilidade do governo adotar o sistema de lista fechada, no qual não se vota mais em um deputado escolhido, e sim na legenda.

A aprovação de uma clausula de barreira severa, com cerca de 2,5% em 14 estados, por sua vez favorece os grandes partidos patronais e os que aprovaram as reformas que precarizarão as condições de vida da classe trabalhadora no Brasil, impedindo partidos de esquerda a crescerem e se estabelecerem como alternativa. Além disso está incluído uma proposta que pretende evitar a prisão de candidatos até oito meses antes da eleição, visando explicitamente livrar seu companheiro de longa data, o presidente Lula, para as eleições de 2018.

A alternativa da reforma politica só favorece a casta de políticos corruptos e aos grandes empresário interessados na aprovação das reformas, para melhor se encastelarem em seus postos e manterem seus privilégios, para uma saída independente, que favoreça aos trabalhadores e assuma uma posição de ruptura com esse sistema que serve ao lucro dos patrões e não para suprir as necessidades básicas do ser humano é necessário mudar as regras do jogo e não só os jogadores. Através da auto-organização dos trabalhadores em comitês e assembleias de base, seguindo o exemplo dos trabalhadores da PEPSICO na argentina poderemos ir muito além das grandes centrais sindicais, que só buscam defender seus próprios interesses e impor aos capitalistas que paguem pela crise.

Através da construção de base devemos impor a implementação de uma constituinte livre e soberana marcada pela luta dos trabalhadores, nossas vidas valem mais que seus lucros!

Fonte Da Foto: Carta Capital




Tópicos relacionados

Nossas vidas valem mais que o lucro deles   /    Que os capitalistas paguem pela crise!   /    Governo Temer   /    PT   /    Reforma Política   /    Corrupção

Comentários

Comentar