Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Relator da Reforma Trabalhista é escolha de Paulo Guedes para secretário da Previdência Social

Rogério Marinho (PSDB-RN), atual deputado que não foi eleito para 2019, é a escolha do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, para secretário especial de Previdência Social.

terça-feira 11 de dezembro de 2018| Edição do dia

Hoje, terça (11), está previsto o anúncio dessa decisão, tomada em acordo com o presidente reacionário Jair Bolsonaro (PSL) ontem (10).

Rogério Marinho foi relator da Reforma Trabalhista, exploração desenfreada que foi aprovada em 2017 no Congresso em pleno governo golpista de Michel Temer. Segundo Paulo Guedes, Marinho é a chave para a aprovação da Reforma da Previdência, afinal ele defende urgência para a votação e Bolsonaro espera que ocorra no primeiro semestre de 2019.

Se a Reforma da Previdência for aprovada, ela abre espaço para um alteração mais estrutural das condições econômicas da classe trabalhadora e dos setores populares. Somada ao projeto privatizador de Bolsonaro e Paulo Guedes e à reforma trabalhista, isso envolve a destruição dos direitos sociais mais elementares no altar do neoliberalismo decadente da burguesia brasileira, ainda mais subserviente ao imperialismo (em primeiro lugar o de Trump nos Estados Unidos).

O Judiciário, principal articulador do golpe institucional, também se soma a essa campanha política pela reforma da previdência, sendo que o presidente do STF, Dias Toffoli, é seu porta-voz. Por isso, visto que o Clã Bolsonaro sofre uma crise por acusações de corrupção, um combate sério contra a Reforma da Previdência e pela revogação de todas as reformas aprovadas até agora passa por um combate ao autoritarismo judiciário.

E para dar essa batalha, é necessário que trabalhadores e jovens e militantes de esquerda que rechaçam o golpismo e a extrema direita, criem força coletiva em cada local de trabalho e estudo, nos sindicatos e entidades estudantis, contra a Reforma da Previdência.




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Reforma da Previdência   /    Reforma Trabalhista   /    Política

Comentários

Comentar