×
Rede Internacional

FECHAMENTO DA FORD | Relato de um trabalhador da Ford: “É todo um plano de vida que é interrompido”

O Esquerda Diário esteve na assembleia dos trabalhadores da Ford em Taubaté contra o fechamento das fábricas da montadora no Brasil. Veja o relato de Ivo, trabalhador da planta, que foi demitido.

quarta-feira 13 de janeiro | Edição do dia

ED: Pode nos contar como a demissão te impactou?

Meu nome é Ivo, estou na Ford há 13 anos, 4 anos como terceiro, e depois passei pra Ford mesmo. Última função era como engenheiro de qualidade.

Esse período todo, a ficha ainda tá caindo do que aconteceu. Foi algo inesperado. Não teve nenhum comentário. Nada. Antes na Ford surgiam alguns comentários: "pode ser que feche", "pode ser que pare". Dessa vez não teve nada.

A gente estava trabalhando normalmente, aí três horas da tarde recebemos um e-mail do presidente da Ford dizendo que estava encerrando as operações imediatamente no Brasil. Então pegou todo mundo de surpresa ninguém imaginava que isso ia acontecer.

Porque às vezes tem algumas negociações, algumas reduções que acontecem, e começa a ter alguns comentários na fábrica, começam a falar uma coisa aqui, outra ali e a gente se prepara, mas essa situação específica foi, assim, inesperada mesmo. Foi e a anunciou. A gente estava trabalhando normalmente nesse dia.

Na segunda-feira foi dada uma licença remunerada na fábrica e algumas pessoas não vieram trabalhar, a maioria estava de folga, e nós recebemos essa notícia.

ED: ...e as pessoas que estavam de folga não podem mais entrar na fábrica para pegar suas coisas?

Não, as pessoas que não estavam trabalhando nunca mais puderam entrar na fábrica, não podem retornar.

A gente fica chateado porque anos e anos já vinham acontecendo varias negociações entre sindicato e fábrica. A gente já ficou um período com o nosso salário congelado, a gente, da parte do trabalhador, a gente já cedeu muita coisa, muitos direitos nossos já foram reduzidos em prol de manter o emprego.

O nosso presidente não dá nem um apoio pra gente, fala que lamenta, que é a concorrência e não tem nenhum poder de articulação, de conversar nada. "ah você quer subsídio. Sim e não. Não, então acabou, fechou, pronto acabou". Ele não pensa no trabalhador. Na população.

Sinceramente, não caiu a ficha pra mim que eu não vou acordar amanhã e vou lá trabalhar. Tô assimilando aos poucos. É todo um plano de vida que é interrompido.

O Esquerda Diário se solidariza com todos as famílias que se vêm sem fonte de renda com as demissões da Ford. Nosso portal está à serviço da luta contra esse grande ataque.

Veja também:

Trabalhadores se reúnem em assembleia contra demissões da Ford em Taubaté

Pablito: "As reformas de Bolsonaro e dos golpistas abriram espaço para as demissões"

Maíra Machado: "É urgente que a CUT prepare um plano de luta contra o fechamento da Ford"




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias