Juventude

E.E. DIADEMA

Relato da repressão esta tarde na E.E. Diadema

Eu cheguei na escola, em torno das 18hrs, assim que cheguei, tentei entrar e fui barrada pela PM que estava no portão, e a justificativa era que eles tinham "interditado" a entrada porque iria acontecer a desocupação do prédio.

quarta-feira 30 de novembro| Edição do dia

Eu cheguei na escola, em torno das 18hrs, assim que cheguei, tentei entrar e fui barrada pela PM que estava no portão, e a justificativa era que eles tinham "interditado" a entrada porque iria acontecer a desocupação do prédio. Então subi e entrei pela rua de cima. Lá dentro já estava em torno de 10 policias, 9 homens e 1 mulher, uns 8 alunos e nosso professor Paulo, junto com o visse diretor da escola, e assim iniciou uma discussão, porque queriam nos tirar a força, sem mandado, e não queríamos sair!

No meio da discussão, o mandado foi expedido, e um policial exaltado começou a chutar e puxar as barracas, até que uma mãe de uns dos nossos colegas, e que recentemente perdeu um amigo nosso em um assalto, se gritou com o policial, falando que não erramos bandidos para sermos tratados daquela maneira, que o filho dela tinha sido assassinado por bandidos e eles não fizeram nada, mas queriam agredir estudantes sem motivo algum.

Nisso, o Professor Paulo, estava filmando tudo desde o começo, então um policial o pegou pelo braço e disse que o levaria preso, então o Cauê pegou o celular dele e um outro policial também pegou o Cauê e disse que o levaria preso e o celular como prova, como você vê no vídeo. Aí aconteceu toda aquela agressão com o professor, algo totalmente desnecessário, pois ele só estava gravando.

Logo em seguida, levaram todos para a DP no carro da polícia, com a sirene ligada, e não deu em nada, o Paulo acabou de ser liberado e os demais já foram liberados a um tempo.

A escola está funcionando, mas a aérea ocupada está interditada com policiais nela, vai ser feito perícia. Não nos deixaram pegar nada dos nossos pertences pessoais.




NOTA DOS ESTUDANTES DA OCUPA:

Hoje, dia 30 de Novembro de 2016, a POLÍCIA MILITAR, a mando do Estado de São Paulo e da direção da Escola, entram na ocupação, levando estudantes e um professor, todos foram detidos com muita truculência, já sabemos que o único diálogo que o governo quer é mandar a Polícia que matou Luana, e que sumiu com Amarildo, agredir estudantes secundaristas menores de idade, queremos dizer que nossa luta continua e que não vai ter arrego, iremos continuar ocupando as ruas e as escolas até que todas nossas pautas sejam atendidas, não será a truculência da Polícia Militar que nos impediram de lutar, convidamos todos secundaristas e professores da Rede Estadual de São Paulo mobilizarem suas escolas e ocuparem elas contra a PEC 55 ( Antiga 241 ) e a Medida Provisória que visa uma Reforma do Ensino médio.




Tópicos relacionados

Ocupações   /    #OCUPATUDO   /    Juventude

Comentários

Comentar