Mundo Operário

REFORMA TRABALHISTA

Reforma trabalhista cobra R$ 20 mil de trabalhador que sofreu acidente e acionou a justiça

terça-feira 19 de dezembro de 2017| Edição do dia

O acidente de trajeto ocorreu em Canoas/RS em 2011, num dia em que o transporte fretado fornecido pela empresa não passou na residência do trabalhador e este optou por ir ao trabalho com a sua moto. No caminho para a empresa, um veículo colidiu com a moto e o acidente deixou o trabalhador afastado de suas atividades por mais de 1 ano, recebendo o auxílio-doença previsto para os casos de acidentes de trabalho ocorridos no percurso entre a residência e o local de trabalho.

Após o fechamento da unidade da empresa na cidade e a sua demissão, o trabalhador abriu um processo trabalhista requerendo indenização pelo acidente sofrido. A juíza da 5a. Vara do Trabalho de Canoas deu ganho de causa à empresa e condenou o trabalhador a pagar R$ 20 mil pelas custas da empresa com honorários advocatícios.

A decisão da juíza se baseou na Reforma Trabalhista que, na prática, significa que o aval que o judiciário também terá para punir o trabalhador que ousar processar a empresa pelas infrações trabalhistas que sofre, tal como no caso da bancária do Itaú

Trata-se de mais uma demonstração clara de para quem foi feita a Reforma Trabalhista, endossada pela máquina da “justiça” do trabalho que acaba utilizando esses casos como exemplos de ameaça a outros trabalhadores que eventualmente queiram reclamar na justiça as inúmeras infrações trabalhistas cometidas pelas empresas.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Governo Temer   /    Acidentes de Trabalho   /    Poder Judiciário   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar