Política

Reforma na casa de Maristela Temer: Coronel pagou R$ 950 mil em dinheiro vivo

Os desdobramentos na investigação sobre a reforma na casa de Maristela Temer comprovam o pagamento de pelo menos R$ 950 mil em dinheiro vivo pagos pela esposa do Coronel João Baptista Lima Filho, Maria Rita Fratezi.

sexta-feira 8 de junho| Edição do dia

Um fornecedor da “modesta” reforma (segundo Temer) na casa de Maristela Temer, informou em depoimento à Polícia Federal, que recebeu R$ 950 mil na sede da Argeplan, empresa do Coronel Lima.

O coronel é acusado de repassar propina para o MDB, partido de Temer. Citado nas delações da JBS como recebedor de 1 milhao de reais dos 15 milhoes que a empresa destinou ao caixa dois da campanha de Temer e Dilma, já foi pego destruindo provas.

Saiba Mais: Amigo de Temer tenta destruir provas e é pego pela PF

Em entrevista a Policia Federal Luiz Eduardo Vizani, da Vizani engenharia, afirmou que recebeu aproximadamente R$ 950 mil em dinheiro vivo, conforme recibos que diz ter apresentado a policia. Segundo ele, os valores recebidos diretamente no caixa da empresa entre novembro de 2013 e marco de 2015, eram pagos mensalmente.

Saiba mais: Reforma da casa de Maristela Temer teria ficado na mão do ex Coronel amigo do presidente

As suspeitas de lavagem de dinheiro pelo golpista Temer levaram a investigação de outros fornecedores da obra de Maristela, mas também de outras obras que serviriam como forma de lavagem de dinheiro de proprina em nome de familiares e terceiros. Em seu depoimento, Vizani informou que a “modestra” reforma custou em torno R$1,5 milhão.

Outro fornecedor também informou ter recebido pagamentos em dinheiro vivo das mãos de Maria Rita Fratezi, Mulher de Lima. As suspeitas sobre a obra integram o inquérito contra Temer que apura se houve pagamento de propina em um decreto do setor portuário, editado pelo governo Temer em maio de 2017. A PF investiga que Temer recebeu, por meio do Coronel Lima, propina da empresa Rodrimar em troca da edição do decreto que teria beneficiado empresas que atuam no Porto de Santos.

Em depoimento a PF, Maristela afirma que o coronel Lima foi indicado por seu pai para ajuda-la na reforma, mas que não recebeu nada por isso e que todos os valores pagos por Maria Rita foram reembolsados, ainda que não exista nenhuma prova disso.

Mais uma vez é escancarada a lama em que Temer está envolvido junto a todos que a Lava-Jato diz combater, e como todos esses tramites legais, na verdade, funcionam para privilegiar alguns poucos (políticos e empresários), enquanto para a maioria esmagadora da população são lançados ataques e uma condição de vida cada vez mais precária. Enquanto, através de lavagem de dinheiro, Temer gasta mais de 1 milhão para reformar a casa de sua filha, a maioria da população vive em geral com menos de um salário mínimo que não terá aumento nem de R$ 50 no próximo ano.




Tópicos relacionados

Michel Temer   /    Operação Lava Jato   /    Política

Comentários

Comentar