Mundo Operário

REFORMA DA PREVIDÊNCIA EM CAMPINAS

Reforma da previdência em Campinas: Veja quem foram os vereadores que aprovaram esse ataque aos trabalhadores

Foi aprovado na manhã desta segunda-feira, 27, a reforma da previdência da cidade de Campinas. Conheça quem são os partidos e vereadores que aprovaram este ataque aos servidores municipais em meio a pandemia do Coronavírus.

segunda-feira 27 de abril| Edição do dia

Na manhã desta segunda-feira, 27, foi aprovado na câmara de vereadores de Campinas o projeto de lei do prefeito Jonas Donizette (PSB) que aumenta a alíquota de contribuição previdenciária dos servidores municipais de 11% para 14%.

A “Reforma da Previdência” municipal gera uma perda imediata de 3% do salário aos servidores municipais, muitos desses trabalhadores da saúde que estão na linha de frente nos hospitais da cidade lutando para salvar vidas em meio a pandemia de Covid-19.

Leia mais aqui: Contra servidores, Câmara de Campinas aprova Reforma da Previdência de Jonas na pandemia

A lista dos vereadores e partidos reacionários que aprovaram esse projeto contra os trabalhadores é extensa. Veja abaixo quem são os 24 vereadores que votaram a favor das mudanças no Camprev:

PSB: Ailton da Farmácia, Antonio Flôres, Filipe Marchesi, Gilberto Vermelho, Luis Yabiku, Paulo Galterio, Permínio Monteiro, Pr. Elias Azevedo e Zé Carlos;

PDT: Aurélio Cláudio;

PSC: Carmo Luiz;

PSL: Cidão Santos e Edison Ribeiro;

Republicanos: Fernando Mendes;

PSDB: Jorge da Farmácia e Luiz Cirilo;

PL: Jorge Schneider, Juscelino da Barbarense e Professor Alberto;

PV: Luiz Rossini;

DEM: Rodrigo da Farmadic e Rubens Gás;

PP: Tenente Santini;

Cidadania: Paulo Haddad.

Entre os que votaram contra o projeto, algumas contradições e demagogias se destacaram. Os vereadores Marcelo Silva e Nelson Hossri, por exemplo, ambos do Partido Social Democrático (PSD), votaram contra, mas o seu partido apoiou o governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB), na aprovação da Reforma da Previdência Estadual. Vale lembrar que Doria aprovou em meio a repressão a escandalosa reforma da previdência estadual, considerada até por especialista pior que a própria reforma da previdência federal. A tropa de choque de Doria não poupou bombas, gás de pimenta e cacetes pra cima dos servidores, principalmente, dos professores durante a aprovação na ALESP.

Campos Filho, vereador pelo Democratas (DEM) e um antigo conhecido da população campineira, pois dentre tantos absurdos foi o autor da “Emenda da Opressão”, que em 2015 proibiu a discussão de gênero e sexualidade nas escolas da cidade, também votou contrário. O DEM é fiel defensor da reforma. Trata-se do partido de Rodrigo Maia, o principal articulador a nível nacional junto com Alcolumbre, também do Democratas, da Reforma da Previdência. Poderíamos aqui inclusive destacar outros nomes, como por exemplo o vice-governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia, também fiel defensor da reforma. Ou seja, Campos Filho é pura demagogia. Está alinhado com interesses do seu partido do início ao fim. Isso ficou evidente na própria sessão da Câmara quando foi votado de início um requerimento de retirada da votação e o vereador votou contrário. Demagogicamente, já sabendo que a reforma do Camprev seria aprovada, votou contrário pensando nas próximas eleições.

Por fim, mbora PT e o PC do B se coloquem como oposição em Campinas, nos Estados onde governam também aprovaram as suas reformas da previdência. Inclusive, esses mesmos partidos estão chamando, por meio de suas centrais sindicais, os setores golpistas do Congresso e figuras reacionárias da política brasileira (como Doria e Witzel) a estarem em um ato unificado no 1º de maio, dia do trabalhador.

Leia mais aqui: Contra o 1º de maio das centrais com inimigos do povo como FHC e Maia, por um ato independente pelo Fora Bolsonaro e Mourão




Tópicos relacionados

Campinas   /    Reforma da Previdência   /    Campinas   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar