Sociedade

Ratinho ataca tema da extinção animal e diz “se todos morressem, o que iria mudar pra nós?”

Apresentador Ratinho faz declarações que desprezam espécies animais ameaçadas de extinção. Sobre o mico leão-dourado diz que “se todos morressem, o que iria mudar pra nós? Nada”. Neste 25 de setembro que está sendo chamada a Greve Global do Clima aumenta a importância de rechaçar declarações como estas e toda a política de proteção ao agronegócio, às empresas imperialistas que desmatam a natureza.

sexta-feira 25 de setembro| Edição do dia

Foto: Reprodução IstoÉ

Nesta semana o apresentador do SBT, Ratinho, emitiu opiniões polêmicas sobre o movimento de preservação ambiental, declarando que não vê relevância em defender espécies animais que estão em extinção como o mico leão-dourado e o hipopótamo.

Conhecido por declarações reacionários no que diz respeito à proteção do meio ambiente, o apresentador afirmou que não vê qual é a importância do hipopótamo para a sociedade e que a preocupação com esses e outros animais seria “desinteressante”. Acrescentou se referindo ao mico leão-dourado que “se todos morressem, o que iria mudar pra nós? Nada”.

Veja o vídeo no momento em que Ratinho declara isso:

Este episódio deixa bem claro seu desprezo com a natureza e o perigo iminente da extinção de diversas espécies, fruto da depredação ambiental causada por empresas do agronegócio, da pecuária, de extração mineral e dos governos, como o Bolsonaro, que protegem as atividades destas empresas e não a natureza.

A candidata a vereadora pela cidade de São Paulo, Letícia Parks, se posicionou em suas redes sociais sobre essas últimas declarações do apresentador:

O apresentador Ratinho tem em seu histórico inúmeras declarações que destilam ódio à natureza, às mulheres, LGBTs e trabalhadores, como demonstram todas as denúncias de agressão a mulheres realizado em seu programa de TV no canal do SBT, ou a acusação de manter trabalho escravo em uma propriedade rural de sua posse.

Isso somente deixa mais claro quem são os apoiadores do governo Bolsonaro, como é o apresentador Ratinho, que também foi fundamental na propaganda e apoio aos ataques do golpista Temer no momento da implementação da reforma trabalhista e que defende todas as reformas neoliberais que atacam os trabalhadores.

Neste dia 25 de setembro, em que em diversas cidades do mundo estão sendo convocadas manifestações pela Greve Global do Clima, é preciso rechaçar declarações como esta que desprezam a vida de espécies animais, que defende a exploração natural pelas empresas do agronegócio. Sabemos inclusive da demagogia dos setores e governos imperialistas, como o da França e Alemanha, que se colocam em defesa da Amazônia, do Pantanal e da preservação do meio ambiente em seus discursos, se contrapondo às declarações de Bolsonaro na ONU e nas redes e de seus apoiadores como é Ratinho, pois são estes governos e setores mais “democráticos” e “conscientes” que igualmente protegem monopólios europeus diretamente vinculados ao desmatamento, como a BNP Baripas, Crédit Agricole.

Saiba mais: Qual o interesse de Macron, Merkel e o G7 diante do fogo bolsonarista na Amazônia?




Tópicos relacionados

greve global pelo clima   /    Governo Bolsonaro   /    Ratinho   /    Agronegócio   /    Sociedade

Comentários

Comentar