Cultura

ESCRITOR PROTESTA CONTRA GOVERNO TEMER

Raduan Nassar critica governo e STF e Roberto Freire o insulta no Prêmio Camões

Raduan Nassar, cuja breve e contundente carreira literária foi homenageada com o Prêmio Camões, discursou durante a cerimônia contra o golpe e o governo Temer. Ele foi respondido duramente pelo ministro da cultura, Roberto Freire, que foi vaiado pelo público no local.

domingo 19 de fevereiro de 2017| Edição do dia

Raduan Nassar não publica uma obra literária há décadas. Depois de seus importantes livros "Um Copo de Cólera", "Lavoura Arcaica" nos anos 1970, e e antologia de contos "Menina a Caminho", lançada em 1997, não houve mais publicações de livros de sua autoria.

Ele abandonou a literatura oficialmente em 1984 para viver em seu sítio no interior de São Paulo. Posteriormente, ele doou o local para a Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).

Mesmo com obra tão enxuta, ele é considerado um dos grandes autores literários brasileiros e o Prêmio Camões desse ano foi consagrado ao autor. Ele aproveitou a oportunidade da cerimônia para dizer o que pensa do governo de Temer. Ele, que criticou cifradamente o regime militar em sua obra, afirmou que "vivemos em tempos muito sombrios", ilustrando o que quer dizer com isso: citou a invasão feita pela polícia na sede do PT, na Escola Nacional Florestan Fernandes do MST, nas escolas ocupadas por estudantes contra a reforma do Ensino Médio, prisão de Guilherme Boulos, violência policial contra as manifestações. Ele atribuiu a responsabilidade desses eventos a Alexandre de Moraes, que chamou de "figura exótica" nomeada para o STF. Classificou o governo Temer como "repressor" e "atrelado ao neoliberalismo", dizendo que se trata de um "governo de exceção". Criticou os "dois pesos e duas medidas" do STF, afirmando que é coerente com seu passado no regime militar. Ele foi ovacionado pelo público.

O ministro da cultura, Roberto Freire, do PPS, se irritou e disse que o "é fácil fazer manifestação em um governo democrático como esse", e disse que ele é tão "democrático" que premiou um "adversário político". O prêmio, na verdade, nada tem a ver com o governo federal. Ele foi vaiado e bateu boca com o público presente na cerimônia, dizendo que Raduan "desrespeitou todos nós", momento em que foi ridicularizado pela plateia. Ainda afirmou que o autor "não entende a democracia e que "esse histrionismo oposicionista tem seus dias contados".

Veja abaixo vídeo dos discursos:




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    Literatura   /    Cultura   /    Política

Comentários

Comentar