Educação

DENÚNCIA EDUCAÇÃO RJ

RJ: estado e município usam aplicativos de empresa da TV Bolsonaro para aulas a distância

Os aplicativos “Applique-se”, da secretaria estadual de educação, e “Rioeduca em casa”, da secretaria municipal de educação do Rio de Janeiro, foram desenvolvidos pela empresa IP.TV, a mesma do aplicativo “mano”, uma rede de streaming que veicula o canal “TV Bolsonaro”, que vem dominando o mercado brasileiro de aplicativos para o ensino remoto e tendo acesso a dados de milhões de professores e estudantes.

terça-feira 23 de fevereiro| Edição do dia

Em uma denuncia feita pelo The Intercept, ainda em 2020, já ficava claro que a empresa que começou com profundos laços com o bolsonarismo, que produziu o aplicativo de streaming bolsonarista “Mano”, usado como uma alternativa para driblar eventuais restrições impostas por redes sociais, e que foi divulgado por figuras como Flávio Bolsonaro. A empresa rapidamente dominou o crescente mercado do ensino online durante a pandemia, sendo adotado oficialmente por estados como Amazonas, São Paulo, Pará e Paraná, mesmo após polêmicas sobre a invasiva coleta de dados de milhões de estudantes e profissionais da educação.

Agora é a vez do Rio de Janeiro, e tanto Comte Bittencourt no estado, quanto Ferreirinha na capital, contrataram a empresa para montar os aplicativos de suas respectivas redes de ensino, o que levanta enorme desconfiança na categoria de professores: afinal como uma mesma empresa, diretamente ligada a rede bolsonarista consegue vencer tantas licitações? Como depositar informações e dados pessoais dos trabalhadores, de uma categoria com tanta participação em embates com o governo em uma empresa tão relacionada com Bolsonaro, que ameaça diariamente os movimentos sociais e o direito dos trabalhadores se organizarem?

Nós do Esquerda Diário viemos desde o ano passado denunciando o caráter farsesco do Ensino a Distância imposto de cima para baixo para mascarar a precarização das escolas e da educação durante a quarentena, entendemos que quem deve decidir, tanto pelo planejamento escolar durante a pandemia, quanto pela forma como (e quando) deve ser conduzida uma eventual retomada dos estudos presenciais são as comunidades escolares organizadas e em debate com trabalhadores da saúde, para não deixar esta decisão nas mãos das diferentes alas de políticos golpistas cujo objetivo é descarregar a crise nas costas da população trabalhadora.

Para que isto aconteça é preciso que o Sepe, junto às comunidades escolares, organize um plano de emergência que atenda às necessidades dos trabalhadores da Educação, dos pais e alunos. É a partir deste debate que é possível organizar a unidade entre todos os trabalhadores das escolas, incluindo aí os administrativos e terceirizados, para que possam pautar suas reais necessidades imediatas, superando o expediente burocrático da atual “greve pela vida” e a passiva espera pela vacina.

Leia mais: Retorno às aulas no RJ: organizar um plano de emergência com a comunidade escolar

O Esquerda Diário se coloca lado a lado dos trabalhadores da Educação
O Esquerda Diário é uma mídia independente feita por e para o trabalhadores, por isso queremos dar voz aos milhares de professores, estudantes, familiares e trabalhadores da educação que sabem que precisamos desmascarar Comte, Paes e Ferreirinha.

Chamamos todas as comunidades escolares para nos enviar a real situação das escolas: as condições precárias de trabalho e estudo, as péssimas condições estruturais das unidades escolares e a falta de equipamentos e materiais básicos de segurança sanitária precisam ser denunciadas. Neste momento, é crucial que a juventude e a classe trabalhadora se apoie em suas próprias forças. Por isso, quem deve decidir quando, como e quais são as medidas necessárias para um retorno seguro é a própria comunidade escolar com os trabalhadores da saúde.

Todas as denúncias recebidas serão divulgadas de forma ANÔNIMA, pois sabemos que as empresas, as prefeituras e o estado atuam para impedir o direito de organização dos trabalhadores da educação e de todos os servidores públicos e trabalhadoras e trabalhadores terceirizados.

Entre em contato conosco pelo whatsapp (21) 97147 6500 ou pelo email: r[email protected]




Tópicos relacionados

Reabertura das escolas   /    Bolsonaro   /    bolsonarismo   /    EAD   /    Escolas   /    Greve de professores do RJ   /    Educação   /    Professores   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar