Mundo Operário

DENÚNCIA OPERÁRIA

“Quem se importa com as nossas vidas?”, denuncia trabalhadora terceirizada dos Correios

O Esquerda Diário recebeu grave denúncia anônima de uma trabalhadora terceirizada pela empresa MG Terceirizações do Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas (CTE) de Indaiatuba (SP), cidade localizada na Região Metropolitana de Campinas, da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, popularmente conhecida como Correios.

quinta-feira 7 de maio| Edição do dia

Segue abaixo denúncia anônima de trabalhadora terceirizada dos Correios quanto à gravíssima condição de trabalho que estão submetidos os trabalhadores da empresa frente à pandemia.

“Nós, trabalhadores terceirizados dos correrios na unidade CTE Indaiatuba pela empresa MG terceirizacões estamos submetidos a situações de muito risco no nosso trabalho, em meio à pandemia as atividades permanecem normais, além da precarização que já era comum dentro da esfera de trabalhadores operacionais terceirizados, as novas circunstâncias do cenário atual, agora é uma questão de vida e saúde e nos preocupa muito mais. Durante quase 3 meses de pandemia declarada a empresa pouco se importou de saber a condição de saúde dos trabalhadores, e fornecer equipamentos de segurança e proteção mínimos, como máscaras e luvas. Nenhum levantamento foi feito para saber quais funcionários são parte do grupo de risco e nenhuma adaptação eficaz foi feita para atender a demanda de trabalhadores que em meio ao isolamento social, aumentou. Foram contratados mais de 30 novos funcionários sem exame médico e sem assinar contrato. Trabalhamos aglomerados em galpões fechados, em 3 turnos, são mais de 400 trabalhadores colocando a vida em risco, desenvolvendo trabalhos físicos pesados. Exercemos a mesma função que um trabalhador concursado, mas as nossas condições são ainda piores que as deles, salários menores e atrasados, pagamento de vale transporte atrasado, bem como de vale alimentação e cesta básica não possuímos o transporte fretado como os concursados, além da falta de acessoria por parte da empresa, que quando questionados, dizem que ainda estão em processo de adaptação. A marginalização do funcionário terceirizado já é algo "cultural", as pessoas aceitam trabalhos precários por necessidade e no cenário atual, é brutal ver como a situação continua se desenrolando de forma ainda mais grave.A política do "Fica em casa" não é aplicável para todos, principalmente para os trabalhadores que dependem dos salários miseráveis para sobreviver. O mínimo que se espera é um ambiente onde não haja negligência por parte das empresas. Quem se importa com as nossas vidas? A vida dos trabalhadores terceirizados não vale nada para as empresas e para o governo?”

Vale destacar que a trabalhadora também relatou por meio de outras mensagens o assédio que os trabalhadores estão sofrendo dos supervisores, o medo diante da possibilidade de demissão e a insuficiência das parcas medidas tomadas pela empresa para “amenizar” o risco de contaminação, tais como, a distribuição, ainda que tardia, de apenas de duas mascaras para cada funcionário. Sabemos que há estudos comprovados cientificamente, além da própria orientação da OMS, da necessidade de troca de máscaras a cada duas horas. A trabalhadora informou que diante dessa situação, insuficiência na quantidade de EPIs distribuídos, “todos os dias” quando chega em casa há necessidade de lavar os uniformes e as mascaras. Ou seja, o que implica uma sobrecarga nas tarefas domésticas que para as mulheres já são enormes.

O Esquerda Diário está a disposição de trabalhadores de qualquer categoria que queiram denunciar o descasos dos patrões com sua saúde, de sua família, e suas condições de vida e trabalho principalmente em meio à pandemia. ENVIE SUA DENÚNCIA para 11 97750-9596 ou para nosso e-mail: [email protected] GARANTIMOS ANONIMATO.

Abaixo links de matérias publicadas pelo Esquerda Diário quanto a situação dos trabalhadores dos Correios frente à pandemia.

Correios não oferecem EPI e querem demitir quem se recusar a trabalhar

Trabalhador dos Correios morre com suspeita de Covid-19 em São Carlos

ABSURDO: Correios libera 5 reais por funcionário para compra de álcool em gel

Correios tem quase 100 mil funcionários e não toma medidas preventivas contra o Covid19

Siga o Esquerda Diário nas redes sociais e procura-se informar quanto aos Comitês Virtuais do Esquerda Diário!

Youtube: Esquerda Diário
Instagram: @EsquerdaDiarioOficial
Twitter: @EsquerdaDiario
Facebook: Esquerda Diário




Tópicos relacionados

Correios   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar