VESTIBULAR

Quem são os melhores colocados no ENEM?

Nem mesmo se a metade dos candidatos seguissem o exemplo de abdicação e esforço dos vencedores haveria espaço para todos receberem sua recompensa

terça-feira 16 de janeiro| Edição do dia

Surgido em 1998, o exame Nacional do Ensino Médio tinha como objetivo avaliar o desempenho dos estudantes que terminavam o Ensino Médio. Entretanto, a partir de 2009, começou-se a incentivar o uso do Enem como forma de auxiliar na seleção dos estudantes para as Universidades. Hoje o Enem é utilizado como critério de seleção para os estudantes que pretendem concorrer a uma bolsa no Programa Universidade para Todos (ProUni), além disso, cerca de 500 universidades já usam o resultado do exame como critério de seleção para o ingresso no ensino superior, seja complementando ou substituindo o vestibular.

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é o sistema informatizado, gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC), pelo qual instituições públicas de educação superior oferecem vagas a candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Na prática, o Sisu é um vestibular nacional para os cursos de graduação. Basicamente quem tem a maior nota, leva a vaga nesta disputa.

O fim de ano de vestibulandos é inundado por cobranças, ansiedade, e, para a maioria, frustração. E esse fato se deve, principalmente, a brutal competição que o processo de ingressar em um curso superior gera. No ano de 2017 foram ofertadas 239.601 vagas pelo Sisu, e estas foram disputadas por cerca de 6 milhões de candidatos que realizaram a prova do Enem de 2016.

Contrapondo esta realidade, o que se vê são inúmeras reportagens sobre candidatos que conseguiram a vaga em cursos concorridos, junto a suas histórias de privações sociais em detrimento do estudo árduo ao longo do ano ou de vários anos, juntamente com a romantização deste sofrimento.

A utilização dos exemplos de vitoriosos que se esforçaram e foram recompensados, reforça a ilusória idéia de que o sistema permite toda e qualquer pessoa sobressair de um quadro de vulnerabilidade social. Mas basta uma análise de perfil dos melhores colocados do Enem para perceber o quão determinante é o lugar de origem do candidato e o caminho que este tem que percorrer.

Uma pesquisa publicada na Veja revelou que mais de 70% dos estudantes que tiraram as 1.000 maiores notas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) são meninos. No entanto, as meninas são maioria entre os candidatos. Os resultados indicam também disparidade de desempenho entre as raças. Garotas negras (pretas e pardas), que são a maior parte dos inscritos no Enem, representam apenas 6% das notas mais altas. Os meninos brancos são quase 50% dessa “elite” da prova e 15% dos candidatos. Além disso, esse grupo tem perfil semelhante. As idades variam entre 17 e 19 anos, a maioria estudou em escolas particulares e possui renda familiar acima de 10.000 reais. Mais de 70% dos pais dos alunos que estão entre as 1.000 melhores notas do Enem são formados em ensino superior ou pós-graduação, e, quase 25% deles têm renda familiar acima de 17.600 reais.

A luta em defesa da democratização do ensino superior público passa por defender vagas para todos, condições de permanência estudantil e financiamento das vagas públicas através da taxação das grandes fortunas dos monopólios educacionais, além da estatização das universidades privadas que possuem a maior parte de seu financiamento vindo das verbas públicas do FIES e PROUNI. Para que todos possam ter acesso a uma educação de qualidade!

Fonte da matéria: https://blogdoenem.com.br/sisu/
https://g1.globo.com/educacao/noticia/sisu-abre-inscricao-para-vagas-do-primeiro-semestre-de-2017.ghtml
https://veja.abril.com.br/educacao/homens-de-renda-alta-analise-revela-quem-sao-os-melhores-no-enem/
Fonte da imagem: https://conteudo.imguol.com.br




Tópicos relacionados

Educação

Comentários

Comentar