Política

ELEIÇÕES 2020

Quaquá aprofunda laços com bolsonarismo e PT-RJ apoiará Marcelo Delaroli em Itaboraí

segunda-feira 7 de setembro| Edição do dia

No Estado do Rio de Janeiro, o Partido dos Trabalhadores segue na sua política de alianças com a extrema direita com apoio do diretório nacional, com Washington Quaquá agora firmando apoio a Marcelo Delaroli (PL) para a prefeitura de Itaboraí. O apoio foi anunciado nas redes sociais de Quaquá, ex prefeito de Maricá e presidente do PT estadual até 2019:

Hoje com meu pré prefeito Delarolli e meu pré vice Casula em Itaboraí. Cidade irmã e cidade vizinha! Juntos pela melhoria da vida do povo!

Publicado por Washington Quaquá em Quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Marcelo Delaroli concorreu como Vice de Romário ao governo do Estado do Rio de Janeiro em 2018. Ao não ser eleito, assumiu uma secretária no governo de Bolsonaro, dentro da Casa Civil respondendo diretamente a Onnyx Lorenzoni, aonde teria participado da interlocução com Estados e Municípios. Em junho de 2019 pediu para ser exonerado do cargo, na época afirmando que estaria "assumindo algo que o presidente pediu em breve.".

Logo em seguida, Delaroli assumiu como Subsecretário de Saneamento do Governo Witzel. Foi sair do cargo somente em abril deste ano, se afastando depois de testar positivo para o coronavírus. Curiosamente, a doença pegou ao mesmo tempo em que Delaroli iniciou sua campanha, e um dos pontapés dela foi o acordo com Quaquá: Delaroli historicamente concorreu contra o petista pela prefeitura de Maricá. Como podemos ver em uma live publicada em 15 de Maio, Quaquá e seu antigo rival fecharam uma acordo de apoio do PT ao pré candidato à prefeitura de Itaboraí.

No interior, PT aprofunda laços com o bolsonarismo

O Partido dos Trabalhadores foi vítima do golpe institucional, e Bolsonaro só é presidente devido à manipulação das eleições de 2018 realizada pela Lava Jato, que tirou Lula do páreo, caçando o direito do povo decidir em quem votar. Isso não há dúvidas. Porém, ao invés de impulsionar a luta contra os elementos mais podres, antidemocráticos e golpistas do atual regime político golpista, o Partido dos Trabalhadores vem insistindo numa política de alianças sem nenhum princípio.

É desta maneira que Quaquá tentou filiar um Policial Militar citado na CPI das milícias para ser candidato a vereador (e que depois teria desistido da filiação pelo PT). Da mesma maneira é que apoiam o candidato bolsonarista Waguinho, para a prefeitura de Belford Roxo. E fazem tudo isso com o apoio de seu Diretório Nacional, que avaliza todas estas alianças.

As direitadas do PT são seguidas pelas do PCdoB, que também vem fazendo alianças com candidatos bolsonaristas, como o caso de Cubatão, aonde apoiam um candidato do PP e compuseram um evento político lado à lado do PSL e do Patriota.

O que tudo indica é que por trás da política de uma "frente ampla pela democracia", o que o Partido dos Trabalhadores vem impulsionando é a velha aliança partidos burgueses, política que no passado levou Lula ao poder em um governo que respeitou todos os limites impostos pelo capital financeiro, pela Rede Globo e pelos grandes monopólios capitalistas. Esta mesma política aplicada hoje mostra a inconsequência do PT, que abdicou de lutar contra o golpe institucional e pelo Fora Bolsonaro e Mourão, apostando em uma conciliação em um pacto com golpistas do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal, pacto no qual o PT atua como bombeiro da luta de classes, apaziguando seus sindicatos e movimentos sociais enquanto Bolsonaro vende o país para o imperialismo e o ultraliberal Paulo Guedes rifa os direitos conquistados pela luta dos trabalhadores.




Tópicos relacionados

Washington Quaquá   /    Maricá   /    Itaboraí   /    Partido dos Trabalhadores RJ   /    Eleições 2020   /    Wilson Witzel   /    Jair Bolsonaro   /    PT   /    Política

Comentários

Comentar