A TERCEIRIZAÇÃO TEM ROSTO DE MULHER NEGRA

Quando eu cheguei em São Paulo eu trabalhava na terceirização

O presidente golpista Temer vai sancionar o projeto de lei que alastra a terceirização por todo o país. Alguns dizem que se modernizam as relações de trabalho. Vilma mostra como retornamos aos sombrios anos da Ditadura Militar, onde se terceirizava trabalho negro nordestino para “modernizar” o país e dividir a classe trabalhadora. Ela foi terceirizada na USP por 12 anos.

terça-feira 28 de março de 2017| Edição do dia

Eu, Vilma, sou contra a terceirização porque eu já trabalhei na terceirização em 74, foram 12 anos.

Quando eu cheguei em São Paulo eu trabalhava na terceirização. Eu trabalhava na terceirização até 86 e eu sei, a terceirização escraviza, humilha e a pessoa passa fome, mal dá pra pagar seu aluguel, ou comer. Mal dá pra você dar comida pros seus filhos. Isso que é a terceirização.

Terceirização não devia exisitir, o mundo do jeito que tá, não era pra ter mais essa terceirização, mas com o governo, os governista safado, querendo enrricar, porque é querendo enrricar! Porque quem enrica é só o dono da terceirizada. O trabalhador trabalha miseravelmente e não tem direito.

Eu tô te falando que eu sempre falo: onde eu trabalho tem a terceirizada. Esse mês que vai entrar agora, a coitada, ela teve que faltar três dias, ela perdeu a cesta básica, e ela perdeu o vale dela. Isso pra mim dói na minha carne, você percebeu na minha voz como eu fico irritada.

Eu fico irritada com esses governantes que dá pra esses empresário miserável.




Tópicos relacionados

[email protected]   /    Gênero e sexualidade   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar