Programa de Bolsonaro defende carteira de trabalho sem CLT

quinta-feira 16 de agosto| Edição do dia

Como todo reacionário, a candidatura de Bolsonaro vem carregada de um programa que ataca os trabalhadores e a juventude. Sendo um dos políticos corruptos do regime brasileiro que votou a favor do golpe em 2016, Bolsonaro quer, além de ampliar a reforma trabalhista, endurecendo ainda mais seus ataques, uma carteira de trabalho que rasga a CLT em benefício dos patrões.

No programa do candidato a presidência, o capitão da reserva, acompanhado do reacionário defensor da ditadura militar, o General Hamilton Mourão, defende uma carteira de trabalho verde e amarela. Com seu patriotismo “made in USA”, Bolsonaro bate continência aos capitalistas cerrando os punhos contra os trabalhadores.

Em pouco tempo de reforma, o número de processos trabalhista e de acordos coletivos caíram drasticamente como noticiamos no Esquerda Diário. O que Bolsonaro deseja é aumentar o número de trabalhos precários, fazendo com que o contrato individual - dos patrões - prevaleça sobre a CLT, permitindo que os ataques aprofundados com o golpe no governo Temer avance ainda mais.




Tópicos relacionados

CLT   /    Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Golpe institucional   /    Governo Temer

Comentários

Comentar