GREVE SERVIDORES MUNICIPAIS SP

Professores municipais de São Paulo em greve tomam as ruas e recebem apoio popular

Na manhã desta terça-feira, dia 20, o comando de greve do Butantã, que reúne mais de 30 escolas da rede municipal de ensino de São Paulo fez um ato panfletagem próximo ao metrô Butantã para dialogar com a população sobre os motivos que os levaram a votar greve e a necessidade de unificação para barrar os ataques do golpista Dória que aumentou a condução, reduziu o passe livre estudantil, cortou linhas de ônibus, tirou merenda das crianças, fechou AMAs e agora segue atacando tentando tirar também as condições de trabalho dos professores.

terça-feira 20 de março| Edição do dia

Os servidores municipais estão em greve desde o dia 8 de março, e desde então seguem firmes na luta, fazendo atos massivos que demonstram que a população está contra os ataques que Dória tenta implementar. A Reforma da Previdência de Dória foi aprovada no último dia 14 ao custo de muito sangue e repressão, mandando a polícia espancar os professores que protestavam do lado de fora da Câmara, um dia depois, dia 15, eles foram às ruas em um ato massivo e fizeram uma assembleia que aprovou a continuidade da greve.

O PL (621/2016) que Dória tenta a qualquer custo implementar em São Paulo é uma Reforma da Previdência a nível municipal, que é uma tentativa de tentar fazer a Reforma que Temer não conseguiu colocar para votação a nível nacional vir fatiada retirar os direitos da população e fazer com que sejamos nós que paguemos pela crise. O projeto visa aumentar a contribuição dos servidores municipais de 11% para 14% podendo chegar até a 19%, isso, somando a outras contribuições como imposto de renda pode fazer com que o salário dos servidores seja reduzido pela metade.

A luta dos professores contra a continuidade do golpe não está descolada da luta por justiça a Marielle, uma vez que ela se levantava contra a intervenção do Rio de Janeiro, que também era uma medida do governo Temer de responder a incapacidade de implementar a Reforma da Previdência nacional e dar uma saída da burguesia para o problema da segurança no estado. Portanto, a luta é uma só contra a casta política que tenta descontar sobre os trabalhadores as consequências da crise.

O ato panfletagem realizado hoje na região do Butantã procurou trazer todos estes fatos para a população, que respondeu positivamente à mobilização, principalmente outros trabalhadores precarizados e oprimidos, que também sentem na pele os ataques dos governos. Os comandos de greve de Perus, Guaianazes, DRE Ipiranga, Jd. Miriam e Jd. Helena MP também tomaram as ruas no dia de hoje, além disso, os servidores municipais farão um ato em frente à Câmara Municipal às 14hrs, no qual pretende contar com o apoio de toda a população para barra de uma vez a Reforma de Dória.




Tópicos relacionados

Greve Professores Municipais SP   /    Nossa Classe Educação   /    Educação   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar