Educação

EDUCAÇÂO

Professores do André Maurois questionam arbitrariedade da SEEDUC para reduzir servidores

segunda-feira 28 de agosto| Edição do dia

O Colégio Estadual André Maurois foi uma das escolas do Rio de Janeiro que foi ocupada pelos estudantes, e a Secretaria Estadual de Educação quer sucateá-la. Reproduzimos abaixo nota em repúdio à este ataque com o posicionamento dos professores do turno da manhã que se reuniram hoje.

"Aos vinte e oito dias do mês de agosto de dois mil e dezessete, os professores do turno da manhã do Colégio Estadual André Maurois se reuniram e produziram o seguinte documento que tornarão público:

O Colégio Estadual Andre Maurois (sito à Avenida Visconde de Albuquerque, 1325 - Leblon / Rio de Janeiro) é uma respeitada instituição de ensino que, há mais de cinquenta anos, luta para construir uma educação pública de qualidade.

Atualmente, a escola está passando por incontáveis dificuldades devido à ausência de coordenadores pedagógicos, orientadores educacionais, pessoal de secretaria, agentes de núcleo(RH), porteiros e insuficiência de pessoal de apoio.

Mesmo assim, foi solicitado, pelo ofício 062/2017 de 25 de agosto de 2017, a convocação de seis servidores para uma reunião. Nesse encontro, os servidores foram comunicados que seriam deslocados para outras unidades escolares.

O CEAM já carece imensamente de pessoal. Essa decisão agrava, ainda mais, o quadro já insuficiente de funcionários, o que compromete o pleno funcionamento e o zelo pela seguranca da escola. 

A partir disso, o corpo docente reuniu-se e resolveu suspender as atividades escolares regulares na parte da manhã desta segunda-feira (28/08/2017). Os alunos reuniram -se em suas salas para discutir e produzir um documento de repúdio a essa situacao. Paralelamente, O corpo docente se reuniu para um debate político pedagógico sobre o que entendemos ser o agravamento do sucateamento das condições de funcionamento do Colégio Estadual André Maurois.

Portanto, conclamamos uma revisão urgente da decisão de retirada desses funcionários

Aguardamos o posicionamento imediato da Secretária Estadual de Educação, Regional Metropolitana VI e órgãos competentes."




Tópicos relacionados

Ocupação escolas RJ   /    Educação

Comentários

Comentar