Política

ELEIÇÕES SP

Professores de universidades na cidade de São Paulo apoiam a candidatura de Diana Assunção

Professores declaram seu apoio a uma campanha e propostas anticapitalistas.

segunda-feira 26 de setembro| Edição do dia

Desde que a militante do MRT Diana Assunção anunciou a sua candidatura para vereadora na cidade de São Paulo, professores da PUC-SP e USP declararam apoio. Isto só foi possível, porque estes professores acompanharam a trajetória de luta da Diana, seja na época em que ela atuava no movimento estudantil da PUC-SP, estando na linha de frente contra o projeto de sucateamento da Fundação São Paulo e da burocracia, mas também na USP travando uma luta contra a terceirização e em defesa dos trabalhadores e também da Universidade Pública.

De acordo com o Antônio Rago, professor de Historia da PUC: ‘’Eu gostaria de agradecer este espaço que estão dando para gente. Eu conheço a Diana de uma longa trajetória, apesar dela ser muito jovem, ela foi minha aluna no curso de História e esteve em muitas atividades na APROPUC (Associação dos Professores da PUC – SP) e do próprio departamento que eram sobre a defesa dos direitos das mulheres, do movimento negro, defesa dos trabalhadores. A Diana é uma candidatura que eu a vejo como um talento, ela é vocacionada, pois ela é uma ativista pela experiência estudantil, passou por varias experiências sindicas. Ela é combativa no sentido de ir para os lugares onde a classe trabalhadora está trabalhando em condições de trabalho precário. Ainda que saibamos que a limite na luta parlamentar, como não enxergaram as esquerdas no século XX, é necessário travar o combate neste terreno. A Diana compreende a necessidade da luta de classes e de uma organização dos trabalhadores. A Diana tem a compreensão da necessidade da emancipação humana. A Diana é uma pessoa talentosa e tem a compreensão do mundo golpista que vivemos, do fracasso e tragédia de que foi o PT e sua central sindical que tirou as pessoas da rua e quando ela voltaram, ela não cumpriu nenhum papel organizatório’’.

Já pra Jorge Grespan, professor de Historia da USP ‘’Eu conheço a Diana Assunção há muito tempo, nós já participamos de muitas lutas, mesas e discussões e debates. Sempre admirei muito o trabalho dela como defensora intransigente dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras da universidade. Isto é muito importante no momento que estamos vivendo, pois a gente está assistindo uma precarização cada vez maior do trabalho e um desmonte geral das leis trabalhistas de todos os níveis, seja na universidade, na cidade de São Paulo, no Estado e no Brasil. Por isso que a plataforma anticapitalista da Diana é tão importante ser levantada para mostrar que o capitalismo não é possível. Por isso que eu acho que a bandeira que está levantando é tão importante e por isso que apoio que ela seja uma voz que defenda os trabalhadores dentro da câmera dos vereadores’’.

A professora de Serviço Social da PUC-SP e diretora da Associação dos Professores da PUC afirma que ‘’é com muita alegria e energia que eu apoio a candidatura da Diana Assunção para vereadora da cidade de São Paulo. Eu conheci a Diana na PUC-SP e posso afirmar que ela esteve em todas as lutas contra a destruição do ensino e do trabalho. E foi fundamental a sua atuação dentro do movimento estudantil por perspectiva classista na universidade e também por ter atuado na luta feminista, por trabalho igual para salario igual, pela legalização do aborto, a luta pela saúde, contra a LGBBTfobia que tem impedido a livre orientação das mulheres. Todas estas lutas ligadas por uma perspectiva de classe. Estive com a Diana quando ela lançou o seu livro vinculado á luta das mulheres terceirizadas, chamado a precarização tem rosto de mulher. Este livro é fundamental na luta contra a terceirização e todas as formas de trabalho precário. Em momento algum a Diana se curvou contra o governo do PT, mas colocou de maneira bastante critica ao golpe parlamentar da direita. Tenho certeza absoluta que a Diana não vai se curvar ao cretinismo parlamentar, mas vai utilizar destes espaços para o compromisso com as greves, com as ocupações. Dando apoio politico e militante’’.

Já para a professora Verônica da área de botânica fala que ‘’Eu estou aqui para dar o meu apoio á candidatura da Diana. Ela representa muitos jovens militantes que vem trabalhando, para melhoria social geral. Como professora, estou vendo o processo de sucateamento, isso que está ocorrendo. Percebe que não tem vontade para contratação de professores, de médicos e funcionários para o hospital universitário. A terceirização é sentida e a Diana é contra a terceirização da universidade e fora dela. Também se coloca contra a polícia dentro da universidade, pois trata-se de um espaço que tem que prevalecer o livre pensamento. Além disso a Diana vem lutando junto com os funcionários por melhores condições de trabalho e essa vontade de se candidatar dela, vem de encontro com aquilo que a gente pensa e eu dou maior apoio a ela’’.

Está cada vez mais claro, que existe um espaço enorme para construir uma força politica independente de todos os setores da burguesia que se coloque como uma voz anticapitalista em defesa dos trabalhadores. Frente ao anúncio dos ataques de Michel Temer, é mais do que preciso construir esta voz como resposta a estas medidas impopulares que vem para destruir os nosso direitos.




Tópicos relacionados

Eleições 2016   /    Eleições São Paulo   /    Política

Comentários

Comentar