Gênero e sexualidade

8M - SÃO PAULO

Professores de SP vão pra greve contra Doria em defesa aposentadoria neste 8M

quinta-feira 8 de março| Edição do dia

Reproduzimos neste artigo chamado importante feito pelo Movimento Nossa Classe Educação aos professores municipais de SP e denúncia contra a política criminosa de Doria contra os professores no dia internacional de mulheres

PROFESSORES, PODEMOS VENCER DORIA E MOSTRAR O CAMINHO!

O Prefeito João Doria, do PSDB, quer atacar os professores e trabalhadores do município com sua própria Reforma da Previdência, isso depois da Reforma a nível federal ter sido oportunamente engavetada por Temer frente aos interesses eleitorais dos parlamentares. O SAMPAPREV é parte do projeto dos golpistas para fazer passar em cada município o ataque à nossa aposentadoria, no sentido da primeira proposta de texto da Ref. da Previdência, que dizia que os municípios teriam autonomia para definir como iriam melhor nos atacar, isso reforça ainda mais a importância de fazermos triunfar essa greve que se inicia hoje. Com a nossa força podemos vencer o Doria e mostrar o caminho para os trabalhadores de todo país de como lutar contra as Reformas, tanto para enterrar de vez a da Previdência, como anular a Trabalhista que está precarizando ainda mais a vida dos trabalhadores, especialmente as mulheres. Mas também barrar o avanço do golpe institucional contra os nossos direitos democráticos, como o direito do povo escolher em quem votar nas eleições e não o judiciário, e a intervenção federal no Rio de Janeiro.

DERROTAR O SAMPAPREV: Não a Reforma da Previdência de Doria e Temer!

Nossa categoria é formada por uma ampla maioria de mulheres e por isso esse 8M ganha ainda mais importância para nós, para mostrar a força das professoras e das mulheres que são sempre as mais afetadas a cada novo ataque contra à classe trabalhadora, afinal somos parte dessa classe, mas que não se dobram e seguem em luta em defesa de seus direitos. Com as professoras a frente, mas ombro a ombro com cada professor, é possível construir uma greve onde as demandas das mulheres da nossa categoria possam se expressar!

Para nós do Nossa Classe Educação podemos derrotar esse ataque histórico que é o SAMPAPREV do Doria, mas para isso precisamos de toda a união e força, mesmo para além da nossa categoria! Fazemos um chamado a CSP Conlutas e aos sindicatos dirigidos pela esquerda, mas também a CUT e a CTB que precisam sair do imobilismo frente a tamanhos ataques e colocar de volta os trabalhadores na luta, para que coloquem toda a sua força e energia para cercar de solidariedade ativa a nossa greve, aumentando nossa força e para que possamos triunfar!

O SINPEEM, como filiado da CUT, precisa levantar essa exigência com toda a força, não isolando a nossa luta. Claudio Fonseca que é contraditoriamente um vereador da base aliada do prefeito na prefeitura precisa decidir até o final de qual lado da luta vai se posicionar, se é com os professores e em defesa da unidade dos trabalhadores para vencermos seu aliado Doria, ou se vai ficar no meio do caminho cumprindo um papel de freio na luta, assim como as centrais traidoras tem feito. O SINPEEM também precisa defender o direito democrático de greve, lutando contra a lógica punitivista de reposição do PSDB adorada por Doria, de esgotar cada professor que construiu a luta com reposições durante as férias e aos fins de semana. Queremos repor o conteúdo para nossos alunos, mas de forma flexibilizada pensada pelos professores de cada escola. Lutar é um direito e o sindicato precisa desde já levantar que não aceitaremos nenhuma punição!

TODA FORÇA NOS COMANDOS DE GREVE:

Apenas confiando na força da organização de nossa categoria pela base de forma democrática podemos construir a greve necessária para derrotar o SAMPAPREV. Para isso precisamos nos organizar em fortes comandos de greve, com delegados eleitos pelos professores que se reúnam para decidir coletivamente nossas ações, que se dêem a tarefa de fortalecer nossa luta, de avaliar politicamente a greve e tomar seu rumo em nossas próprias mãos, pois só assim podemos vencer! Além de que nada mais democrático, ainda mais frente as alianças políticas de Claudio Fonseca (PPS), que em cada mesa de negociação esteja presente também uma comissão eleita pela base da categoria para defender nossos interesses.

Curta a página do Nossa Classe Educação no Facebook aqui




Tópicos relacionados

8M2018   /    Professores São Paulo   /    Professores   /    Gênero e sexualidade   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar