Educação

PROFESSORES PORTO ALEGRE

Professores de Porto Alegre protestam contra alteração de escala de trabalho

Centenas de professores do município de Porto Alegre protestaram em frente à Secretaria Municipal da Educação (Smed), no centro da capital. Os professores iam de encontro ao secretário de Educação, Adriano Neves de Brito, exigindo democracia na decisões sobre seu trabalho, envolvendo toda comunidade escolar.

quarta-feira 22 de fevereiro de 2017| Edição do dia

Quando o secretário tentou sair em seus carro de luxo, foi cercado por centenas de professoras aos gritos de "democracia já", contra a medida imposta de forma autoritária pela prefeitura tucana. Denunciam que é totalmente irresponsável a proposta, sem pensar nos servidores, muito menos nos alunos. Ainda foram reprimidos pela guarda municipal que fazia a segurança do secretário.

A alteração foi anunciada nesta terça-feita (21), em reunião com diretores e vice-diretores das escolas municipais, no Teatro Renascença. Visa mudanças na escala de trabalho dos educadores, aumentando o tempo dos professores dentro da sala de aula.

Como trabalham 4h30min por dia, os 30 minutos a mais eram revertidos em um dia na semana de compensação. Entretanto, esse dia de compensação é utilizado pelos professores para preparação de atividades, correção de provas e trabalhos e demais tarefas envolvendo a escola, o que leva a uma precarização do trabalho e uma concentração das atividades diárias.

Além disso, ocorre alteração no período em que os professores ficam na sala de aula, ficando das 8hs às 12hs. Com o funcionamento da escola das 7:30hs às 13:30hs, os alunos ficaram sem amparo durante este tempo, sobrecarregando ainda mais funcionários e professores do município. O secretário alega que este tempo anterior e posterior é para as refeições e os alunos devem ser amparados pelos demais servidores.

O secretário da Educação de Marchezan alega que não é necessário passar a medida pela câmara de vereadores e que será implementada a partir de 6 de março, data de volta as aulas. Porém, como já demonstraram os educadores, apresentarão resistência a mais esse ataque a educação pública.

Veja um vídeo do momento em que o secretário tenta sair:




Tópicos relacionados

Marchezan   /    Trabalho Precário   /    PSDB   /    Educação   /    Porto Alegre   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar